sexta-feira, 22 de maio de 2015

Túmulos em alto mar‏


Caros amigos,






Os povos mais perseguidos de nosso planeta estão embarcando em verdadeiros "navios da morte" para fugir da violência e encontrar um lugar seguro para suas famílias. Em vez de responder com humanidade, porém, nossos governos estão fechando as fronteiras, deixando que essa gente morra de fome e se afogue no mar. 

O Mediterrâneo e mar de Andamão estão se tornando cemitérios. 

Mianmar está expulsando o povo da etnia Rohingya e, com isso, milhares de famílias estão à deriva no mar, impotentes, forçadas a beber sua própria urina porque haviam sido rejeitadas pela Malásia, Tailândia e Indonésia. Todas as semanas, cidadãos sírios e africanos também correm o perigo de morrer afogados na costa sul da Europa ao arriscar a travessia assustadora, tida como a última esperança de escapar de tortura, fome e traficantes. 

Estamos enfrentando a maior crise de refugiados desde a Segunda Guerra Mundial, mas até agora os governos estão permitindo que pessoas morram em meio a um clima crescente de xenofobia. Agora que a crise chegou, nossa comunidade tem uma oportunidade única de trocar a cultura do medo por uma onda de compaixão. 

Se cada um de nós fizer uma pequena doação agora, vamos ajudar a financiar operações de resgate no mar; criar uma equipe com foco em refugiados na Avaaz para apoiar essas missões e reassentamento; fazer pressão para forçar líderes políticos a abrir as fronteiras; e lançar anúncios para combater o racismo. 

Juntos, podemos ajudar no resgate de refugiados, como também no resgate de nossa humanidade comum. 

Se não agirmos rápido, o ano de 2015 pode vir a ser o ano da “gente dos barcos”! 

Comprometa-se com uma doação para lançarmos urgentemente a campanha de refugiados da Avaaz – a sua doação só será processada se arrecadarmos o suficiente para começar a salvar vidas: 




Os membros da Avaaz no Reino Unido já deram o pontapé inicial nesta campanha. O governo britânico permitiu que apenas 143 cidadãos sírios dentre 4 milhões de refugiados entrassem no país! Em resposta, mais de mil membros da Avaaz uniram forças para desafiar esta política vergonhosa e ofereceram ajuda para reassentar essas pessoas em suas próprias comunidades, exigindo que governos locais oferecessem, cada um, abrigo para 50 refugiados sírios. Quatro distritos já concordaram e esperamos que muitos outros façam o mesmo. 

Mas não se trata de um problema apenas do Reino Unido e da Síria. Quando as pessoas mais vulneráveis ​​do nosso planeta são tratadas como criminosas e largadas à morte, trata-se de uma crise de humanidade. Temos um plano com cinco ações fundamentais que a Avaaz pode implementar se arrecadarmos o suficiente juntos


  1. Apoiar organizações que estão bravamente resgatando refugiados no mar.
  2. Lançar flotilhas humanitárias, juntando barcos privados para auxiliar nas operações de resgate.
  3. Montar uma equipe focada em refugiados na Avaaz para pressionar os governos, a União Europeia e a Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), exigindo operações de busca e salvamento eficazes e o aumento das vagas para refugiados.
  4. Apoiar grupos locais na Europa e no Sudeste da Ásia para prestar assistência a refugiados que chegam em centros de acolhimento e nas comunidades.
  5. Executar campanhas fortes em outdoors e anúncios em jornais para combater a cultura da xenofobia.

Trinta mil refugiados poderão morrer afogados apenas no Mediterrâneo neste ano. Estas famílias, que estão fugindo do terror e da miséria, têm como única opção escolher embarcar nestes barcos perigosos. Vamos unir forças para pôr um fim a tragédias no mar. Comprometa-se agora: 




Para se comprometer com outra quantia, clique aqui.


Nossa comunidade é uma das únicas no mundo com milhões de cidadãos tanto nos países dos quais essas famílias estão fugindo quanto naqueles para onde tentam chegar em busca de vidas melhores. Nós já financiamos ações extraordinárias para enfrentar o vírus do ebola e apoiar o trabalho humanitário no Nepal. Agora vamos assumir essa emergência e catalisar a mudança com atos inspirados no amor e na bravura. 

Com esperança e determinação, 

Alice, Ben, Oli, Diego, Mais, Emily, Dalia, Ricken e equipe Avaaz 


FONTES: 

Rohingyas: o povo muçulmano que o mundo esqueceu (BBC)

Rohingya, o povo sem cidadania (O Globo)

Governo das Filipinas dividido sobre a ajuda aos refugiados rohingya (O Público)

Malásia e Indonésia abrigarão por um tempo os refugiados rohingya (El País)

Imigrantes muçulmanos de Mianmar abandonados no mar "bebem a própria urina" para sobreviver (The Independent UK) (em inglês)

Refugiados da Síria: Resposta Regional (UNHCR) (em inglês)

Imigrantes mediterrânicos: Emergem detalhes sobre naufrágio mortal (BBC) (em inglês)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays