sábado, 16 de maio de 2015

Sérgio Moro



Juiz da Lava Jato é ovacionado em sessão de autógrafos de livro em SP




Moro disse não se considerar um herói, mas que apoio é 'importante'.
Mulher do magistrado escreveu prefácio do livro "Bem-Vindo ao Inferno".

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da Operação Lava Jato em primeira instância, foi ovacionado nesta quinta-feira (14) em uma livraria durante uma sessão de autógrafos de um livro em São Paulo.
Moro participou do evento pois sua mulher, a advogada Rosângela Moro, escreveu o prefácio do livro "Bem-Vindo ao Inferno", do jornalista Cláudio Julio Tognoli. O livro narra a história de Vana Lopes, uma das vítimas do médico Roger Abdelmassih, que condenado a 278 de prisão por 48 abusos sexuais em 37 clientes.
Manifestantes levaram cartazes em apoio a MoroManifestantes levaram cartazes em apoio a Moro (Foto: Roney Domingos/G1)
(Foto: Roney Domingos/G1)





Ao chegar no local, manifestantes que pediam o aprofundamento das investigações da Lava Jato e o impeachment da presidente Dilma Rousseff, começaram a cantar o hino nacional e gritar "Fora PT".
Ao ser questionado por jornalistas, Moro disse que não se considera um herói. Ele, no entanto, disse que "é importante ter o apoio da população". "Eu fico feliz com essa recepção, mas não quero ser o foco da atenção", completou.
Em março, Moro recebeu o prêmio do jornal "O Globo" “Faz Diferença” de “Personalidade do Ano" por conta de seu trabalho na Operação Lava-Jato. Na ocasião, o magistrado afirmou que não vê a corrupção como um problema "insuperável".
"A democracia brasileira já enfrentou desafios muitos maiores no passado [...] A corrupção é apenas mais um problema que dentro de um sistema democrático não vejo nenhum problema como insuperável. Com o apoio das instituições democráticas e da sociedade, acredito que vamos conseguir superar esse problema com tranquilidade", afirmou.
Sérgio Moro, juiz federal responsável pelo processo da Operação Lava Jato, é ovacionado durante lançamento de livro em São Paulo. Durante sua chegada manifestantes, que pediam o impeachment de Dilma Rousseff, cantaram o hino nacional e gritaram 'Fora PT' (Foto: Alex Silva/Estadão Conteúdo)Sérgio Moro, juiz federal responsável pelo processo da Operação Lava Jato, é ovacionado durante lançamento de livro em São Paulo (Foto: Alex Silva/Estadão Conteúdo)Perfil
Sergio Fernando Moro, 42 anos, titular da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba/PR, atualmente à frente daquele que já é considerado um dos maiores casos de corrupção no país: a Operação Lava Jato, que apura suposto cartel entre empreiteiras para fraudar licitações e obter contratos na Petrobras, mediante pagamento de propina a agentes públicos.

Formado pela Universidade Estadual de Maringá em 1995, Moro fez concurso e tornou-se juiz federal um ano depois. Em 1998, cursou programa para instrução de advogados na escola de direito da Universidade de Harvard, considerada a melhor do mundo. Além disso, ele é mestre e doutor pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e desde 2007 é professor adjunto da UFPR.



Sérgio Fernando Moro (Maringá , 1972) é um juiz federal criminal brasileiro que ganhou notoriedade nacional por comandar a Operação Lava Jato,1 que é a investigação de um dos maiores casos de corrupção do país.

Biografia


Sérgio Fernando Moro é filho de Odete Starke Moro e Dalton Áureo Moro, ex-professor de geografia da Universidade Estadual de Maringá. Sérgio formou-se em direito pela Universidade Estadual de Maringá em 1995, tornando-se juiz federal em 1996. Também cursou o programa para instrução de advogados da Harvard Law School em 1998 e participou de programas de estudos sobre lavagem de dinheiro promovidos pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. É Mestre e Doutor em Direito pela Universidade Federal do Paraná  . Atualmente é Juiz Federal da 13.ª Vara Criminal Federal de Curitiba, ministra aulas de processo penal na UFPR e comanda a operação Lava Jato. Moro é casado e tem dois filhos.

Além da Operação Lava Jato, o juiz também conduziu o caso Banestadoque resultou na condenação de 97 pessoas, atuou na Operação Farol da Colina, onde decretou a prisão temporária de 103 suspeitos de evasão de divisas, sonegação, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro – entre eles, Alberto Youssef.

Moro já foi indicado pela Associação dos Juízes Federais do Brasil para concorrer a vaga deixada por Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal. Foi eleito o "Brasileiro do Ano de 2014" pela Isto É e um dos cem mais influentes do Brasil em 2014 pela Época. Na décima segunda edição do Prêmio Faz Diferença do jornal O Globo, foi eleito a "Personalidade do Ano" de 2014 por seu trabalho frente às investigações da Lava Jato.

Em dezembro de 2014, o jornal Jornali divulgou que Moro trabalhou no escritório de Irivaldo Joaquim de Souza, considerado "o maior Tributarista de Maringá". O jornal também divulgou que a esposa do juiz seria advogada de empresas petrolíferas e de Flávio Arns, ex-vice governador do Paraná filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira(PSDB).

Fonte: Wikipedia


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays