Nós brasileiros e o 'Impostômetro'... o que realmente é 'feito' com essas monstruosas quantias?

Brasileiros já pagaram R$ 700 bilhões em impostos este ano


No ano passado, o valor foi registrado somente no dia 9 de junho.
ACSP estima que 2015 feche com recorde de mais de R$ 2 trilhões.

Impostômetro atinge R$ 700 bilhões este ano (Foto: Reprodução/Impostômetro)
Impostômetro atinge R$ 700 bilhões este ano (Foto: Reprodução/Impostômetro)


O valor pago pelos brasileiros neste ano em impostos alcançou R$ 700 bilhões por volta de 8h desta sexta-feira (15), segundo o “Impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
 No ano passado, o mesmo valor foi alcançado apenas no dia 9 de junho – o que aponta aumento da carga tributária, reflexo da inflação, de aumentos de preços e revisão de desonerações e incentivos, segundo a ACSP.

A marca de R$ 700 bilhões equivale ao montante pago em impostos, taxas e contribuições no país desde o primeiro dia do ano. O dinheiro é destinado à União, aos estados e aos municípios.

Mudança faz número crescer mais rápido

A ACSP informou que a soma total irá saltar para R$ 761 bilhões na madrugada de sábado (17), excepcionalmente. Isso se deve a uma ampliação da base de dados utilizada, a partir dos dados oficiais, divulgados pelo governo.

Além disso, com os novos cálculos, o painel deverá ultrapassar a marca de R$ 2 trilhões no último dia do ano – a previsão, pela metodologia anterior, era de R$ 2 trilhões, que já era um recorde.Com a atualização na metodologia, o painel vai girar mais rapidamente. Antes da mudança,  o marcador do Impostômetro avançava cerca de R$ 4 bilhões por dia. Com a nova metodologia, passará a avançar mais de R$ 4,4 bi (aumento de 10%), calcula a ACSP.

Segundo a ACSP, a atualização é necessária devido à mudança da metodologia do cálculo do PIB (Produto Interno Bruto) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2015 - esse cálculo é composto pelos bens e serviços finais produzidos no país e também, pelos impostos, taxas e contribuições, cujos valores são exibidos pelo Impostômetro, que é abastecido pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação).

Com a nova metodologia, os valores exibidos pelo painel passam a considerar novos dados de arrecadação de Imposto de Renda Retido dos funcionários públicos estaduais e municipais, novas taxas e contribuições federais determinadas pela lei que trata sobre arrecadações de entidades e fundos como contribuições para o Sistema S, FNDE, INCRA, DPC, APEX-BR e ABDI. Também foram incluídas arrecadações de municípios que não estavam sendo informadas à Secretaria do Tesouro Nacional.

O Impostômetro completou uma década neste ano.  O painel eletrônico que calcula a arrecadação em tempo real está instalado na sede da associação, na Rua Boa Vista, região central da capital paulista.

O objetivo da ferramenta é conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade.

Pelo portal www.impostometro.com.br, é possível descobrir o que dá para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado. Por exemplo, quantas cestas básicas é possível fornecer, quantos postos de saúde podem ser construídos. No portal também é possível levantar os valores que as populações de cada estado e município brasileiro pagaram em tributos.
tópicos:

Comentários