segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Poeminha singelo




Quem dera eu tivesse a singeleza das águas 
não de um rio imenso, mas de um simples 
regato que, lavando passa...

Quem dera eu fosse igual a um pássaro, 
que mesmo sem canto, apenas voando nos 
enche de graça.

Quem dera, se eu pudesse aprender,
esquecendo que sou fraco, me fizesse forte...

Pudesse eu morrer amando esta vida, sem 
nunca haver tido medo de 
enfrentar 
a morte.
*******
http://www.isisdumont.prosaeverso.net/publicacoes





Um comentário:

  1. Bom dia Aparecida
    Apesar do comentário que colocou no blog do Viviani não fosse diretamente a mim, como foi na minha poesia, estou aqui para agradecer e dizer-lhe que é uma ótima poetisa. Terá um futuro brilhante, com certeza.
    Obrigada
    Abç
    Lua Singular

    ResponderExcluir

Eles estão caçando gays