Pular para o conteúdo principal

Por certo o abraço e a dança mais comovente!

'Nos abraçamos e dançamos': a felicidade de um pai ao rever filha sequestrada por Boko Haram

Yakubu NkekeDireito de imagemBBC BRASIL
Image captionYakubu Nkeke ficou quase três anos sem ver a filha, que foi sequestrada pelo Boko Haram em 2014
Foram quase três anos sem poder encontrar a filha, sabendo que ela estava nas mãos de um grupo radical islâmico que atua na Nigéria.
Yakubu Nkeke viveu dias de desespero longe de sua menina, mas finalmente pode abraçá-la nesta semana, após ela ter sido libertada com outras 81 jovens que eram mantidas sob o domínio do Boko Haram.
Ele reencontrou a filha em uma visita à capital nigeriana, Abuja. "Quando a vi pela primeira vez, ela pulou em mim e me abraçou. Segurei-a e comecei a dançar com ela"; contou Nkeke, emocionado.
Nkeke é presidente da Associação dos Pais de Chibok - foi lá que 276 meninas foram sequestradas na escola em 2014 pelo grupo extremista.
O sequestro gerou comoção internacional e uma campanha global pela libertação das estudantes, envolvendo celebridades e altas autoridades.
As outras garotas reencontrarão seus pais na próxima semana, segundo o governo nigeriano. Ao todo, 103 delas foram libertadas até agora - houve 21 solturas em outubro de 2016 - e poderão voltar à escola em setembro.
"O povo de Chibok passou a noite cantando e louvando a Deus depois de saber da libertação delas", afirmou Nkeke.
"Todos em Chibok, não somente os pais biológicos, estão muito alegres com a notícia."
Fotos das meninas libertadas deverão ser exibidas aos pais no domingo como parte do processo de identificação.
Os que reconhecerem suas filhas serão levados à Abuja para reencontrá-las, segundo o governo do país.
Nkeke disse que as meninas sofreram muito no período em cativeiro - e chegaram até a passar alguns dias sem comida. O presidente da associação afirmou que algumas se casaram com militantes do Boko Haram - mas disseram, segundo ele, que não haviam sido forçadas a isso.
Um centro de reabilitação em Abuja, que abriga algumas das 21 garotas libertadas em outubro do ano passado, deve fechar as portas em setembro.
Mães esperando filhas libertadas pelo grupo extremistaDireito de imagemAFP
Image captionPais têm esperado para poder ver as fotos e reconhecer suas filhas entre as libertadas pelo Boko Haram
A ministra para assuntos das mulheres da Nigéria, Aisha Alhassan, disse a jornalistas que as meninas da nova leva de liberações já estavam psicologicamente preparadas para voltar à escola.
As jovens, segundo ela, estavam mais "estáveis" e "animadas" do que as outras 21 que foram libertadas antes.
"O estado psicológico delas é melhor do que quando essas outras (21 liberadas anteriormente) chegaram, então acredito que até setembro essas outras já estarão mais aptas a se estabelecer e conseguiremos levar todas à escola."
"Como uma pessoa leiga, não uma médica, eu sinto que a saúde física delas também não está tão debilitada", pontuou.
Alhassan também reforçou que o governo continuará buscando o aconselhamento de especialistas para o atendimento psicológico das meninas.
Segundo a ministra, um centro de apoio vocacional instalado para a reabilitação das jovens será fechado após o retorno delas à escola. Ela diz que as moças recebem apoio psicológico no local e "já não estão mais tendo pesadelos".
Aisha Alhassan
Image captionAisha Alhassan disse que o governo irá fechar o centro de reabilitação em setembro
A ministra negou relatos sobre a suposta manutenção das jovens no centro contra a vontade delas. Disse que todas são livres para deixar o local quando quiserem.
Estima-se que os militantes do Boko Haram ainda estejam com mais de cem meninas das 276 que foram sequestradas em Chibok. Acredita-se que algumas das meninas sequestradas tenham se casado e tido filhos com integrantes do grupo extremista.
O grupo também já sequestrou milhares de outras pessoas durante sua insurgência na região.

Tópicos relacionados

Comentários

Eles estão caçando gays

Dia dos namorados - Acróstico

D.e repente você sente algo por outra pessoa... I.maturo(a), no verdor da juventude, sente-se  A.traído por alguém, que será seu primeiro namorado(a).
D.urante o namoro, uma fase linda, maravilhosa, mágica, O.nde tudo parece perfeito e infinito, nascem os S.onhos, que  embalam mais o encantamento do casal.
N.ada se compara à felicidade de um amor verdadeiro... A.inda sendo “difícil”, vale insistir viver uma bela história, M.as, precisa ser um amor livre. independente, só seu. O.amor nos prega peças muito difíceis de esquecer! R.aramente vive-se o amor com a mesma intensidade. A. rotina "corrói", destrói, a relação fica “insuportável”. D.evemos zelar como se fosse uma plantinha, O.s sentimentos que um dia nos uniram ao ser amado! S.e não sobrar amor, deve haver respeito e amizade.
Isis Dumont http://www.recantodasletras.com.br/escrivaninha/publicacoes/editor.php?acao=ler&idt=4338424&rasc=0

Dent: A doença que, de tão rara, obriga uma mãe a buscar sozinha os recursos para a cura

Direito de imagemEVA GIMÉNEZImage captionEva faz sua própria odisseia para financiar pesquisas para a cura da doença de Nacho "Mamãe, vão me picar hoje?". "Sim", responde Eva Giménez sem hesitar. "Hoje você será picado, Nacho." "Mamãe, por que eu vou tanto ao hospital e as crianças da minha turma não?" "É porque você tem a doença de Dent. Não sabe?" "Ah, sim, claro, mamãe, por isso. Ok, ok." Nacho mora na Espanha, tem 7 anos e sonha em ser jogador de futebol, mas está proibido de correr ou jogar bola, exceto por um curto período de tempo a cada duas ou três semanas. Tudo porque sofre de uma grave osteoporose. "Nós vamos dois dias ao hospital e três dias à escola", explica Eva ao telefone à BBC Mundo, serviço em espanhol da BBC. Mas ressalta que "Nacho é o garoto mais feliz do mundo". "Queríamos que Nacho vivesse suas limitações e sua doença com alegria, porque não é algo passageiro. É para a vida toda…

Empatia, flexibilidade, cooperação: pesquisa de Harvard explica por que habilidades sociais ganham força no mercado de trabalho

Direito de imagem


Direito de imagemGETTY IMAGESImage captionProfessor de Harvard analisou o mercado de trabalho americano entre 1980 e 2012 A automação "engole" empregos ao redor do mundo, mas ainda está distante de substituir trabalhadores que combinem diversas habilidades complementares entre si - em especial habilidades sociais, como a capacidade de escutar e de trabalhar eficientemente em equipe. A explicação é do pesquisador David Deming, professor de Políticas Públicas, Educação e Economia na Universidade Harvard e autor de um estudo chamadoA crescente importância de habilidades sociais no mercado de trabalho, publicado em maio. Na pesquisa, que compila dados do mercado de trabalho dos EUA entre 1980 e 2012, ele nota um aumento na oferta de empregos para funções que requerem alto grau de interação humana, como gerentes, professores, enfermeiros, médicos e advogados. Enquanto isso, empregos puramente técnicos e de baixa interação humana, ocupados por exemplo por matemátic…

Incêndio florestal deixa 62 mortos e 59 feridos em Portugal

Mais da metade das pessoas morreu carbonizada dentro de seus carros em uma estrada tomada pelas chamas. Autoridades já afastaram a hipótese de incêndio criminoso

Bombeiros combatem incêndio na região central de Portugal, neste domingo (18) (Foto: Rafael Marchante/Reuters)
Um incêndio florestal de grandes proporções matou 62 pessoas e deixou 59 feridos em Pedrógão Grande, na região de Leiria, no centro de Portugal, segundo balanço oficial divulgado pelo jornal português “Público” na manhã deste domingo (18). Autoridades já afastaram a hipótese de incêndio criminoso. Mais da metade das vítimas (30) morreu carbonizada dentro de seus carros na estrada entre Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pêra, que foi tomada pelo fogo no sábado (17). O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, informou que, entre os feridos, 18 foram levados para hospitais. Quatro bombeiros e uma criança estão em estado grave. O número de mortos ainda pode aumentar.
VEJA FOTOS
O diretor nacional da P…

Deixar a mente fluir