Meditemos a palavra de Deus






Evangelho - Mateus 7,1-5

Aleluia, aleluia, aleluia. A palavra do Senhor é viva e eficaz: ela julga os pensamentos e as intenções do coração (Hb 4,12). 
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.
7 1 Disse Jesus: “Não julgueis, e não sereis julgados.
2 Porque do mesmo modo que julgardes, sereis também vós julgados e, com a medida com que tiverdes medido, também vós sereis medidos.
3 Por que olhas a palha que está no olho do teu irmão e não vês a trave que está no teu?
4 Como ousas dizer a teu irmão: ‘Deixa-me tirar a palha do teu olho’, quando tens uma trave no teu?
5 Hipócrita! Tira primeiro a trave de teu olho e assim verás para tirar a palha do olho do teu irmão”.
Palavra da Salvação.

 Reflexão

Neste Evangelho Jesus nos mostra a regra de ouro para a nossa vivencia aqui na terra: não julgar o nosso próximo. Por isso, Ele nos adverte que seremos julgados com o mesmo julgamento que usamos para julgar e medidos com a mesma medida que utilizamos para medir as ações alheias. Tudo o que queiramos dos outros precisamos também vivenciarmos. Geralmente nós nos acostumamos a cobrar das outras pessoas coisas que desejaríamos também realizar e não o conseguimos. Quando olhamos para o outro e logo “enxergamos” as suas falhas, nós, inconscientemente estamos descobrindo também as nossas limitações, por isso, o erro do outro desperta tanto a nossa atenção e tem tanto peso para nós. A nossa maneira de julgar torna-se, então, um motivo para que sejamos também julgados (as).  A começar em mim é para nós a receita para os nossos julgamentos. A rigidez com que olhamos para os defeitos dos outros deve ser adotada para com os nossos.  Na mesma medida em que medimos as ações dos outros também seremos medidos (as). Precisamos estar conscientes de que todos nós temos limitações e precisamos de ajustes. Todos nós temos a capacidade para grandes transformações, assim sendo, precisamos ajuizar somente a nós e às nossas atitudes com o intuito de melhorar nas nossas relações com os nossos irmãos – Você se acha  autossuficiente e incapaz de cometer “grandes pecados”? – O que você considera um grande pecador? – Você tem o costume de fazer julgamentos mesmo que sejam no seu interior? – Como você acha que será julgado (a), assim como você julga? – Faça hoje esta reflexão para o seu crescimento.


 Helena Serpa 

Grupo de Oração Semeando a Paz

Comentários