terça-feira, 7 de junho de 2016

Hillary atinge número necessário de delegados para ser candidata do Partido Democrata

A ex-secretária de Estado Hillary Clinton ultrapassou o número mínimo de 2.383 delegados para assegurar a nomeação do Partido Democrata à corrida presidencial, segundo estimativa da agência de notícias Associated Press (AP), divulgada nesta terça-feira (07/06). O fator decisivo foram os superdelegados que declararam voto em uma pesquisa da AP, resultado que ainda está sujeito a mudanças.

© Fornecido por Deutsche Welle

Se for de fato nomeada na convenção do partido, em julho, Hillary se tornará a primeira mulher a ser candidata de um grande partido na história dos Estados Unidos. Ela provavelmente vai disputar a eleição presidencial no início de novembro com o republicano Donald Trump.
"Marco importante"
Em uma das primeiras reações à pesquisa da AP junto aos superdelegados, o diretor de campanha de Hillary, Robby Mook, falou em um "marco importante". Ele observou, porém, que nesta terça-feira milhões de eleitores devem votar nas primárias, "e Hillary está trabalhando duro para merecer cada um desses votos."
Após perder nas primárias para Barack Obama, há oito anos, a nomeação da ex-primeira-dama é agora dada como certa. Nesta segunda-feira ela estava ligeiramente abaixo do limiar de votos necessários para obter a maioria dos delegados, e deve ultrapassá-la o mais tardar após as eleições primárias desta terça.
Eleições em seis estados
Na última grande votação primária dos EUA vão às urnas delegados de seis estados. Além da Califórnia, estado com o maior número de delegados, também há votação em Montana, Nova Jersey, Novo México, Dakota do Sul e Dakota do Norte. Hillary teria o número mínimo de delegados para a nomeação democrata mesmo que perdesse em todas as votações.
Do lado republicano, Donald Trump também deve assegurar o número necessário de delegados para a nomeação nesta terça-feira. O controverso magnata não tem mais concorrentes e já é considerado o provável candidato de seu partido. A decisão definitiva será tomada na convenção do Partido Republicano, em julho.
Sanders permanece combativo
Apesar da clara maioria para Hillary, a disputa interna no Partido Democrata deve continuar até o fim. Seu rival, o senador de Vermont Bernie Sanders, já anunciou que vai lutar pela nomeação na convenção do partido. Segundo seu porta-voz, Michael Briggs, Sanders vai tentar convencer os superdelegados de que "Bernie é, de longe, o candidato mais forte para enfrentar Donald Trump".
Superdelegados são 719 detentores de mandatos e funcionários do Partido Democrata com direito a voto na convenção, mas que não estão vinculados ao resultado de uma eleição primária. Entre eles está o ex-presidente Bill Clinton, marido da pré-candidata.
Desde fevereiro, Democratas e Republicanos tiveram votações primárias em todos os 50 estados e territórios dos EUA. A última primária está marcada para o dia 14 de junho, quando os democratas votam em Washington DC.
FF/ap/rtr/dpa
msn
Penso que se morasse lá... votaria nela, e até mais que isso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays