quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Samarco emite alerta por deslocamento de terra na barragem de Fundão, em Mariana

BELO HORIZONTE - A Defesa Civil em Mariana, Minas Gerais, foi acionada no início da tarde desta quarta-feira, 27, depois de um deslocamento de terra na área da barragem de Fundão, da mineradora Samarco, que ruiu em 5 de novembro matando 17 pessoas e deixando duas desaparecidas. Na tragédia, o distrito de Bento Rodrigues foi destruído pela lama. 
Segundo informações da Samarco, ocorreu, na tarde desta quarta, "uma movimentação de parte da massa residual da barragem de Fundão por causa das chuvas das últimas semanas". Segundo a empresa, os empregados que atuam próximo à área afetada "foram orientados a deixar o local".
A Samarco disse, ainda, em nota, que não houve a necessidade de acionamento de sirene e que as defesas civis de Mariana e Barra Longa foram informadas sobre a ocorrência. A empresa informou que o volume deslocado "permanece entre a barragem de Fundão e Santarém, dentro das áreas da Samarco" e disse ainda que as barragens de Germano e Santarém permanecem estáveis.
Conforme informações do promotor Guilherme de Sá Meneguin, de Mariana, a Samarco ativou o alerta amarelo na região, que prevê a retirada de funcionários que possam estar no local. Uma equipe da Defesa Civil sobrevoava a área por volta das 16h40. Um relatório será emitido nas próximas horas.
Segundo informações do presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Estado de Minas Gerais (Siticop-MG), José Antônio da Cruz, funcionários, principalmente de empresas terceirizadas, atuavam ao menos até terça-feira em áreas atingidas pela lama próximas a Bento Rodrigues, em limpeza de acessos para máquinas e em reparos em outra barragem da empresa, de Germano, que depois da tragédia de 5 de novembro passa por obras de reforço.
Conforme o promotor, até o momento não há registro de feridos ou mortos no deslocamento de terra registrado nesta quarta. O chefe da força-tarefa do Ministério Público que investiga as causas do rompimento da barragem de Fundão, promotor Carlos Eduardo Ferreira Pinto, enviou uma equipe de técnicos ao local para apurar a dimensão do deslocamento de terra.
O alerta ocorre exatamente no segundo dia da visita de integrantes do Fórum de Responsabilidade Corporativa (FRC) da mineradora BHP Billiton, controladora da Samarco juntamente com a Vale, que estão na região para reuniões com atingidos pela lama.
A agenda desta quarta do grupo previa visita ao município de Barra Longa, também atingido pelo desastre. O grupo é formado por nove representantes da sociedade membros de comitês de saúde, segurança e meio ambiente da BHP Billiton. Ao se apresentarem na terça na cidade, afirmaram ser parceiros da BHP Billiton, mas não funcionários da empresa. O objetivo da visita seria o de acompanhar como as mineradoras estariam atuando no pós-tragédia em relação aos atingidos e ao meio ambiente.
MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays