Menores detidos por suspeita de roubo são liberados no Rio


Defensoria Pública diz que apreensão dos menores foi contra ordem judicial.
Suspeitos não sabiam explicar origem de 3 cordões de ouro.

Do G1 Rio

Todos os 24 menores apreendidos pela PM na quarta-feira (16) num ônibus da linha 474 (Jacaré – Jardim de Alah)  sob suspeita de furtos foram liberados durante a noite com a presença dos pais e responsáveis. Segundo testemunhas, menores do grupo aproveitam as paradas para assaltar passageiros que estavam nos pontos.
Os policiais militares e testemunhas, como o motorista do ônibus, prestaram depoimento na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), no Centro, onde foi aberto inquérito para apurar o caso. Entre as crianças e adolescentes detidos, estavam menores com três cordões de ouro roubados. Alguns dos que foram levados para as delegacias estavam com uniformes escolares.
Na semana passada, um juiz proibiu a PM de apreender adolescentes a caminho da praia sem flagrantes. A decisão veio depois de um pedido feito pela Defensoria Pública estadual.
Mas há uma polêmica em torno na apreensão desses menores, segundo a defensora pública Eufrásia de Souza, que diz que eles não poderiam ter sido levados para a delegacia. Mesmo pegos com joias que não sabiam explicar a procedência.
“Vamos informar isso ao juiz da infância, num habeas corpus onde foi concedida a ordem que impedia a apreensão de adolescentes que não fosse em flagrante de ato infracional ou que tenha ordem judicial de apreensão”, disse a defensora.
Segundo ela, mesmo diante dos depoimentos dos PMs, do motorista do ônibus e de um motorista de táxi que denunciou aos policiais a ação dos menores, os PMs deveriam ter conduzido os menores à delegacia somente dos jovens que estavam com algum objeto apontado como produto de roubo.
“Vimos adolescentes na delegacia chorando, com 16, 17 anos de idade, que não tinham motivo algum para serem conduzidos à delegacia e até crianças de 11 anos, nessa abordagem de 24 adolescentes. Eles estavam dentro do ônibus há horas, quando chegamos à delegacia, num calor insuportável. A situação era realmente dramática”, disse defensora.
Menores foram apreendidos diante do Tribunal de Justiça, no Centro do Rio (Foto: Jorge Antonio Barros/ Arquivo pessoal)Menores foram apreendidos diante do Tribunal de Justiça, no Centro do Rio (Foto: Jorge Antonio Barros/ Arquivo pessoal)

Comentários