Descaso, desrespeito a pacientes portadores de cãncer


Hospital referência contra câncer em PE está sem remédio para tratamento

Faltam 21 medicamentos e estoque de outros seis está acabando.
UTI não recebe novos pacientes e cirurgias de risco estão suspensas.


.
No Recife, está faltando remédio pros pacientes que fazem tratamento contra o câncer num hospital de referência
Silvana tem câncer de mama há dois anos. Desde março, ela não encontra remédios e há 15 dias ela não consegue fazer a quimioterapia. “O tempo é muito importante, é uma corrida contra o tempo”, diz.
O problema é que o Hospital Universitário Oswaldo Cruz, referência em atendimento de pacientes com câncer em Pernambuco, está sem remédios para o tratamento. No setor de oncologia do hospital, a lista preocupa: faltam 21 remédios e o estoque de outros seis está acabando.
Mais de mil pacientes fazem tratamento no hospital. Camila está sem remédio e sem previsão. “Eu hoje dependo dele pra viver”, diz.
Outro problema é que o setor de radioterapia tem aparelhos novos ainda nas caixas há anos.
Para piorar, o diretor do hospital assinou uma ordem de serviço na terça-feira (7) suspendendo o tratamento de novos pacientes na UTI e as cirurgias de médio e alto risco. Ele ainda mandou evitar a internação de quem precise de antibióticos de última geração.
Nesta quinta-feira (9), o diretor disse que a licitação para a compra dos remédios está pronta, mas que falta dinheiro para o hospital.
“Nós temos uma reserva muito pequena e anualmente a gente tem sido socorrido, seja pela universidade, seja pelo governo do estado, com aporte de verbas para recomposição dos nossos estoques. Tudo isso está licitado, tem inclusive empenho, já pronto pra ser assinado, mas falta exatamente recurso financeiro”, diz o gestor-executivo do hospital, Bento Bezerra.
Depois da denúncia da falta de remédios, a reitoria da Universidade de Pernambuco, que administra o Hospital Oswaldo Cruz, afastou na tarde desta quinta-feira (9) três funcionários do setor financeiro e decidiu também criar uma equipe para encontrar soluções para a crise do hospital. A direção informou que, em pelo menos dez dias, metade dos remédios deve começar a chegar.
Ministério da Saúde afirma que tem repassado dinheiro pro hospital todos os anos e de forma crescente. A Secretaria de Saúde de Pernambuco declarou que os pacientes do hospital vão ser tratados em outros centros de referência.
tópicos:

Comentários