Divulgando Obra de David Haize ... Buenos dias, amigos e amigas!!!

Sobre Meu Livro “Inidentidade”,

Agora no Amazon E-books

junho 21, 2015


Sobre Meu Livro “Inidentidade”, Agora no Amazon

O volume “Inidentidade”, agora também no Amazon e-books, se compõe de quatro livros em quatro línguas. O primeiro, “Canção de Maio e Outros Poemas”, em português, aborda poemas de cunho libertário, começando pelo do título, que é uma ode à mítica revolta de Maio de 68 na França, a mais bela revolução do século XX. O segundo, “The last fallen leaves”, em inglês, é composto de poemas bem curtos, que buscam a síntese, sobre o tema da identidade perdida e do amor infeliz. O terceiro, “La soledad del retorno”, em espanhol, trata do eterno retorno, da necessidade, depois de uma certa idade, de voltar às origens. E o quarto, “L´exil du désir”, em francês, é um longo poema erótico de cinquenta páginas, de registro surrealista, que mostra um homem, um poeta, que, durante toda uma noite, aguarda uma misteriosa mulher, enquanto recorda cidades percorridas, em suas andanças pelo mundo, que associa a mulheres amadas na juventude.
Esses poemas, com exceção dos escritos em português, ficaram muitos anos na gaveta e estiveram a ponto de serem destruídos porque eu achava que era muito temerário – e muito pretensioso da minha parte – escrever poesia em quatro línguas. Na realidade eu não os escrevi para serem publicados. Eu os criei cedendo à necessidade premente de expressar determinados sentimentos, que, por circunstâncias da minha vida, tinham sido “vividos” em inglês, espanhol e francês. Ou seja, esses poemas surgiram espontaneamente, depois de determinadas convivências e leituras. Daí o título “Inidentidade”, com o qual quero dizer falta de identidade (falta de língua?) e que, claro, está associada ao meu conturbado histórico, à minha trajetória singular.
Vale salientar que o livro “L´exil du désir” foi escrito e reescrito inúmeras vezes ao longo de vinte anos. E nessa obra, o que parece ser escrita automática não o é, embora possa ser considerado fluxo de consciência. Também vale ressaltar que inseri, certamente não aleatoriamente, vocábulos em árabe, euskara, russo, polonês, romeno, grego e tupi-guarani. Esses vocábulos significam sol, lua, terra, água, fogo, vento, chuva, neve, mas também pai e mãe, numa busca intensa do sagrado. Também fazem alusão ao estrangeiro e ao exílio, e se referem à angústia de não pertencer a nada, que leva ao deslocamento perpétuo, ou seja, um tipo de exílio “at home”. Daí essa procura por uma enigmática mulher, talvez mais simbólica que real, que revele ao narrador o “pai” e a “mãe” através da força do amor e dos elementos. Há também neologismos, ou, melhor dito, palavras que criei e às quais dei um sentido próximo de exposto acima e que cabe ao leitor decifrar.


https://davidhaize.wordpress.com/2015/06/21/sobre-meu-livro-inidentidade-agora-no-amazon-e-books/

Comentários