quarta-feira, 25 de março de 2015

PROTESTE! A ORDEM ANTINORDESTE VEM DO SUL-REICH



Não!  Não é um ataque aéreo.
Nem precisa esconder-nos no porão.
Já não há casas com  porão nesta região.
Os senhores de engenho há muitos anos só investem no Morumbi.
Aqui estamos em guerra.
Só que os ataques aéreos, de outrora, viraram mobilização.
E o que querem dizer com essas mobilizações via Internet?
Todos os jovens precisam se apresentar?!...
É como nos quartéis?
E eles já sabem a razão por que vão esvaziar suas escolas?
Ou é como os soldados que não sabem a razão porque vão matar um seu irmão?!...
Ah, sim, atirar!  Atirar no escuro?
Não!  Perdão!
Protestar, eis a razão.
Protestar contra as escolas que acabaram de ganhar?!...  Talvez, não!  Ainda vão escolher um tema.
Protestar contra os ônibus municipais que vêm buscá-los na porta da escola e, depois das aulas, os levam à porta de suas casas?!... 
Não!  Nada disso importa!   Se for preciso, ônibus se queimam.  Pode ser a ordem...  É só aguardar.
Por enquanto, vá nesse mesmo ônibus protestar...
Nossos pais também não estão em casa, hoje.
Almoçaram, vestiram suas roupas não mais remendadas e foram protestar.
Levaram uma faixa pedindo a volta dos militares.
Afinal, o que vai acontecer?
Movimento democrático pedindo a volta da ditadura?
O que isso tudo significa?
Vovô, agricultor, que tanto amanhou a terra, sem salário, sem horário, sem férias, sem calendário, sem colheita, sem direitos trabalhistas..., virou sem-terra e vai perder a aposentadoria que alguns dizem que lhe foi "doada".
Depois de tanto sacrifício, aposentadoria doada?
Inda vai perdê-la?  É verdade?
Por isso, ele também vai protestar.
Vai protestar contra a princesa Izabel, que o deixou semiescravo, à mercê dos seus senhores.
Teme a volta da semiescravidão oficializada, da qual acabara de sair.
Teme voltar aos velhos tempos de retirante, em que as secas lhe empurravam para as cidades do litoral, onde ia com toda a família, dormir nas calçadas e migalhar pão e água.
Teme voltar a ser um "Pedro, pedreiro", em São Paulo ou no Rio de Janeiro.
Teme ser um dos primeiros sacrificados, quando o Sul-Reich conseguir transformar o Nordeste em holocausto...
Semianalfabeto, não leu direito as mensagens preconceituosas das pré-eleições, pós-eleições e de convocação dessas manifestações...
De onde vem a ordem?
A ordem vem do Sul-Reich.
O Sul-Reich está espalhado no Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste.
Quem sabe, até mesmo aqui no Nordeste!...
Chic!  Ordens via Internet...
Qual é mesmo o tema?
Corrução?
Tantos já gritaram contra essa desgraça que chego à conclusão de que ela se alimenta mesmo é de gritos.
Pelo que me conta a história, já houve até presidente eleito gritando contra ela de vassoura na mão.
Era pra varrer os corruptos e a corrupção de então.
De então?...
Árvore maldita.
Quando um dia resolverem estripar tuas profundas raízes é que se vai definir tua verdadeira e revelhusca idade.
Assim, somente no grito - isso não é novidade -, fica difícil!  Desconfia-se - desconfia-se? - que os corruptores é que estão sustentando o Sul-Reich.
Um Sul-Reich que não somente exerce domínio sobre Praga, ou Varsóvia, ou Viena...
Um Sul-Reich que divide suas forças com os bancos da Suíça ou de Mônaco, ou das Bahamas... e com os HSBCs da vez.
Desde quando?
Estão no Sul-Reich os corruptores que constituem a faixa dos dez por cento da população brasileira.
Essa faixa não deve ser mostrada nas manifestações.
Faixa que detém mais da metada da riqueza nacional?
Cai mal.
Seguem nessa faixa as empreiteiras, irregularmente
organizadas em clubes, que vivem ombreadas com os muitos outros milionários que lhes escondem, através da "legis" ou através da mídia.
Ninguém há de falar contra eles, contra nenhum deles.
Nenhuma faixa de protesto contra os senhores corruptores.
É o que se viu.  É o que se verá.
É a ordem, claro!
Pôs-se na cabeça dos manifestantes que dar nome aos organizadores e aos financiadores do protesto é coisa sem sentido, sem repercussão, sem graça...
Malhar em ferro frio.
A chamada que vem do Sul-Reich tem que ser anônima.
Uma forma de ocultá-los, de não revelá-los...
A ordem do Sul-Reich é protestar, nunca contra eles, mas contra os governos: de ontem, de hoje, de amanhã.
Eles adoram protestos, tanto que os patrocinam.
Citá-los?  Culpá-los? . . .
Não!
Respeitá-los.
Tem mais:
A ordem é deixá-los de lado e malhar o governo.
Melhor ainda se esse governo for mulher!...
Também aqui, mulher tem que ser julgada na pedrada...
Está, portanto, a ordem determinada:
"jogar pedra na Geni".
Lembram a Geni?
"Ela é feita pra apanhar!  Ela é boa de cuspir!"...
Desculpa, dona Geni, mas eu já sabia
que seus torturadores viveriam em agonia,
Se não dessem cria . . . 
Fernando A Freire
Poeta/escritor cadastrado no Recanto das Letras, ao qual agradeço a partilha!
Enviado por Fernando A Freire em 23/03/2015
Reeditado em 25/03/2015
Código do texto: T5180420
Classificação de conteúdo: seguro

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays