Azeite e Vinho (poesia)




Azeite e Vinho

Meus caminhos mais secretos e
Minhas pedras revestidas de musgos
Não são segredos para ele... 
Conhece também meus pesadelos noturnos
E já escalou as paredes mais íngremes do
Edifício de minha alma e alimentou-se do sal de
Minhas cordas marinhas...

Ele já provou do mel e do fel que escorre através
Dos dedos indicadores dos meus versos
Mais apaixonados e impiedosos, costurados nas
Divagações das minhas madrugadas.

No entanto, muitas vezes
...

Somos azeite e vinho
Cada um em sua nau,
Em diferentes universos,
A flutuar sob o risco
De um naufrágio...
Nas águas turbulentas
De um oceano particular
Chamado solidão.

************
Texto inspirado em "Azeite e Vinho" de 
Roseana Murray

Comentários