Encontro

O encontro é uma porta que se abre

Os teus olhos derramam tristeza
sob a pressão do mundo
onde verte a traição da inveja
mais os dias sombrios desta visão
incontida do aperto frio que aí dentro
sente um coração de carne
na sensibilidade da solidão que se ouve
no alpendre das sombras da paisagem
feita de nuvens, noite e horizonte.

Neste deambular sentido no choro
desvelam-se as mãos e a amizade
que faz glória interior aliviada pela libertação
porque se sabe aqui e agora
nos meandros esquisitos do tempo
que tudo na vida sabe a mel
quando os dias se contam na solidariedade
daquele momento que a vida fez espelho
de amor que se move e comove sem engano
na atenção segura do olhar da presença oblíqua
que o espelho da vida sempre multiplica.

Nada é difícil e insuperável nos percalços das sombras
da inverdade que comanda a relação quando
condimentada de falsidade torpe e torta
porém tudo se dissipa no alivio daquele que vem
e se escancara no encontro como se fosse uma porta.
****************
José Luís Rodrigues
Grata por compartilhar!

Comentários