domingo, 3 de agosto de 2014

Primeiro debate entre os candidatos ao governo da Paraíba

Debate na TV Master é marcado por 

farpas e propostas

Debate na TV Master é marcado por farpas e propostas
















O primeiro debate promovido pela TV Master com todos os candidatos ao Governo da Paraíba foi marcado por trocas de farpas, pedidos de direito de resposta e apresentação de propostas. Os maiores confrontos aconteceram entre o governador e candidato à reeleição Ricardo Coutinho (PSB), e o senador e candidato tucano ao governo Cássio Cunha Lima. O senador Vital do Rêgo (PMDB), procurou centrar o debate em cima de propostas e ideias. O deputado Major Fábio do Pros, Tárcio Teixeira (PSOL), Major Fábio (PROS) e Antônio Radical (PSTU), também apresentaram propostas e fizeram críticas ao governo socialista.

Depois das apresentações formais dos candidatos sobre o que motivavam cada um deles se apresentar com projeto de governar a Paraíba, o debate foi aberto pelo governador Ricardo Coutinho se dirigindo ao candidato Cassio Cunha Lima perguntando sobre providencias diante de um acidente vitimando jovens no interior do Estado. A partir de então, Cássio expôs a condição de intolerância do governo na relação com os servidores públicos, na elaboração sem negociação dos vários projetos que, segundo ele, muitos dos principais programas em execução na atualidade sem conclusão foram iniciados na sua gestão.

Ao debater sobre abastecimento de água com o candidato Tarcio Teixeira (PSOL), Cássio Cunha Lima lembrou os investimentos que fez, enquanto governador, em obras de esgotamento sanitário e na construção de adutoras. Na oportunidade, ele disse que muitas obras apresentadas por Ricardo Coutinho (PSB), dentre elas uma adutora que está sendo construída em João Pessoa, foram iniciadas em seu governo.

- O governo atual apresenta um conjunto de obras que nasceram no período em que fui governador, inclusive uma adutora que vai resolver o problema de abastecimento em João Pessoa, que o governador já poderia ter terminado – disse CCL. Já Tarcio Teixeira aproveitou a oportunidade para alfinetar Cássio, dizendo que ele critica Ricardo Coutinho, mas apoiou o governo dele até o começo deste ano. Sobre a política de abastecimento de água, o candidato lembrou a seca que castiga várias regiões do Estado, destacando que ações emergenciais não resolverão o problema.

- Continuam com as políticas emergenciais, sem de fato atender as necessidades do povo – lamentou. Mais uma vez trocando críticas, os candidatos ao governo da Paraíba Ricardo Coutinho (PSB) e Cássio Cunha Lima (PSDB) falaram sobre o funcionalismo estadual, comparando as suas atuações à frente do Executivo Estadual.

- Ouvir o candidato Cássio dizer que dava anualmente reajustes superiores à inflação é querer alterar a história. O senhor obrigou os servidores a tirar empréstimo para receber o 13º salário. O seu governo foi muito cruel com o servidor e hoje quer passar outra ideia, tentando se aproveitar do tempo – disparou RC.

Enquanto isso, Cássio lembrou que fez 27 concursos públicos e implantou Plano de Cargos, Carreira e Remuneração para 37 categorias. - No meu governo havia diálogo, respeito e negociação. O servidor era valorizado – pontuou. Em resposta ao adversário, Ricardo disse que respeitou a data base dos servidores do Estado, criou prêmios para estimular as categorias e concedeu reajustes anuais ao funcionalismo.

- O senhor (Cássio) quer nos tirar o Centro de Convenções, quer nos tirar tudo simplesmente porque diz que teve uma ideia, mas o senhor não pode tirar o tratamento diferenciado que demos aos servidores, pois, além de negociar, demos reajustes acima da inflação – lembrou Ricardo, alfinetando Cássio ao lembrar as greves do funcionalismo que ocorreram no governo tucano. “É curioso ver um candidato socialista falar em greve. Havia greve porque havia liberdade, havia espaço para a negociação”, rebateu Cássio.

Durante o debate para governador na TV Master, o candidato Antônio Radical replicou a resposta do candidato Major Fábio sobre propostas para acabar com o analfabetismo na Paraíba.

Para Radical, acabar com o analfabetismo significa investir no servidor público e na rede pública de ensino do Estado. Para o candidato pelo PROS ao governo do Estado, Major Fábio, a Saúde na Paraíba está entrando em colapso, principalmente pelo fato da população do interior do Estado não dispor de médicos para realizar consultas e exames.

Para ele, a situação fica mais caótica quando as pessoas chegam à Capital e não tem assistência e passam fome. é candidato porque o povo pediu serviços de qualidade, e ele estava a disposição da população. Fazendo referência à família, o político disse que estava representando a ansiedade da população, que não iria trazer palavras bonitas, nem dados numéricos, que a população não percebe no dia a dia. - Estou aqui para representar a indignação do povo da Paraíba – concluiu Major Fábio, na sua apresentação. O candidato Major Fábio disse que a sociedade está cansada de promessas porque a realidade dos policiais, da saúde, educação, etc é bem diferente das argumentações apresentadas em debate. O candidato Tarcio Teixeira também criticou os candidatos.

Para o candidato do PSOL, Tarcio Holanda Teixeira, a descentralização da Saúde está deixando os paraibanos desassistidos, precisando de um novo formato, que dê condições da população ser atendida na região em que reside. Candidato ao governo do Estado pelo PMDB, Vital do Rego Filho, quis inserir um tom critico aos dois governos de Ricardo e Cassio mas centrou o debate em propostas de solução para áreas difíceis, como segurança, educação e saúde.

Vital respondeu algumas perguntas feitas pelos candidatos, e anunciou investimentos para valorizar e equipar a polícia da Polícia. “A Polícia da Paraíba precisa receber um choque de tecnologia, e um choque de inovação. Nós temos muitas dificuldades. No nosso governo vamos mudar essa realidade e para isso, temos inúmeros projetos” afirmou. Respondendo a perguntas do senador Cássio Cunha Lima, ele também garantiu realização de concurso público e também prometeu aumentar a tropa no Estado criando a figura do soldado temporário.

Vital destacou que tem um plano para tornar o Turismo o vetor de desenvolvimento do Estado, integrando o Turismo de Sol e Mar, Religioso e de eventos. Em resposta a pergunta de telespectadores da TV Master, sobre política pública para o esporte na Paraíba, o senador peemedebista disse que no plano de governo que quer implantar no Estado, se eleito, é integrar as secretarias de Educação, Cultura e Esportes.

Além disso, Vital disse que é preciso fazer uma nova escola média para que os jovens tenham oportunidade de estudo, esporte, cultura e emprego, para ficar longe da marginalidade. - Vamos criar escolas com tempo integral para que nenhum jovem fique sem atividades esportivas e culturais e assim fortalecer a juventude para tirá-los da marginalidade - disse.

No último bloco, o mediador do debate Alex Filho teve dificuldade para conter o ânimo dos candidatos e atender a todos os pedidos de direito de resposta, feitos principalmente pelos candidatos tucano e socialista. O apresentador da TV Master, Alex Filho, que mediou o debate, foi enfático ao afirmar que se a plateia não respeitasse o debate, a Polícia Militar e os agentes da segurança privada da emissora iriam esvaziar o teatro.

O fato ocorreu quando a plateia se manifestou com vaias, acerca dos pedidos de respostas dos candidatos.

- Por gentileza, por gentileza, peço silêncio! Se não houver silêncio serei forçado a pedir para que a segurança privada e a Polícia Militar esvaziem o auditório – explicou Alex.

Ele disse que a emissora não iria permitir que nenhum candidato fosse silenciado, garantindo o respeito por parte da plateia.

Os seis candidatos avaliaram como positivo o debate.


PBagora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays