segunda-feira, 28 de julho de 2014

Amor aos inimigos


AMANDO O INIMIGO!

Quando lemos o evangelho de Mateus encontramos em seu capítulo 5 nos versos de 43 a 44 a seguinte recomendação dada pelo Senhor Jesus: “Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus”. Mt 5:43-44.
Amar o inimigo só é possível quando entendemos o que é o amor, afinal de contas como amar alguém que quer ver o nosso mal, a nossa ruína ou daqueles que amamos? Será isso possível? Evidentemente que sim! Amar o inimigo é possível quando entendo que o amor não esta relacionado apenas aos sentimentos, pelo contrário, amor é atitude e ação.
O apóstolo Paulo ao escrever sobre o amor aos Coríntios o descreve como um caminho a ser percorrido e caracterizado por uma série de atitudes e não apenas por sentimos, para Paulo o amor deve ser paciente, benigno, não arder em ciúmes, não ser soberbo, não se conduzir inconvenientemente, não procurar seus interesses, o amor tudo sofre, tudo crê, tudo suporta, o amor jamais acaba (1Co 12.31-13.13).
Portanto, se o amor está muito mais relacionado com a ação e as atitudes então posso amar os meus inimigos a partir do momento que decido a não pagar o mal com o mal, ou seja, quando caluniado não calunio, quando inventam mentiras trato com a verdade, quando desejarem o meu mal, oro pela misericórdia do Senhor.
Entretanto amar o inimigo não significa convidá-lo para conviver com você, ou abrir as portas da sua casa para ele, afinal de contas ele não é de confiança, amar é devolver o mal sofrido com o bem.
Pr. Alexandre Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays