sexta-feira, 23 de maio de 2014

Mês mariano, sua origem e a importância de Maria em nossa vida...


Caríssimos e amados irmãos/ãs internautas!
Abaixo disponibilizo essa "Entrevista", na qual podemos aprender um pouco mais sobre o mês mariano, sua origem e principalmente sobre a importância da Virgem Maria, para nós cristãos, inclusive os católicos.
*******************************************

Foto: Boa tarde, irmãos/ãs, caríssimos e amados internautas!
Abaixo disponibilizo essa "Entrevista", na qual podemos aprender um pouco mais sobre o mês mariano, sua origem e principalmente sobre a importância da Virgem Maria, para nós cristãos, inclusive os católicos.

Estive ausente nesses dias, mas agora retornando para atualizar as postagens nesse espaço abençoado. 
Falar de Deus, procurar viver Seu Amor, junto aos nossos semelhantes, é primordial para uma convivência mais harmoniosa.
*******************************************

Maio, mês em que Maria, mãe de Jesus Cristo, é celebrada

Maria tem um papel singular na história do Cristianismo, a partir do momento em que ela é escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador, mãe de Jesus Redentor. Então, olhando para a pessoa de Maria, nós olhamos também para a encarnação de Deus, que se faz humano assim como nós. É o grande mistério de Deus na pessoa humana. Então, por isso nós entendemos que ao falar de Maria, nós estamos falando da mãe do Redentor, aquela que trouxe Cristo Jesus ao mundo para redimir a todos nós da nossa condição de pecado, de escravidão, diante da proposta de salvação de Deus.

Douglas Branquinho: Por que foi escolhido o mês de maio para ser celebrado o mês de Maria?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: É importante saber que a devoção mariana tem suas origens da Europa, durante o século XIII, XIV. É a chegada da Primavera, então os europeus festejavam com muitas festas e durante longos dias, em honra a Deusa da Vegetação. A Igreja, na tentativa de colocar um pouco de ordem nessas festas, ou trazê-las para o Cristianismo, criou o mês de maio, tendo em vista a presença de Maria. A Primavera chegando, Maria como Primavera de Deus, Maria como Primavera para a Eucaristia.

Douglas Branquinho: O que a Igreja nos ensina sobre a devoção à Maria?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: No Evangelho de Lc 1, 48 está escrito: “Todas as gerações hão de chamar-me bem aventurada”, então ser bem aventurada é aquela que foi escolhida por Deus. Então todas aquelas gerações haverão de reconhecer em Maria, aquela escolhida, conforme eu já disse, para ser a mãe do Salvador. Quando nós dizemos que Maria é mãe de Deus, olhando também para o Evangelho de João, em que Jesus vai dizer: “Eu e o Pai somos um. Quem me conhece, conhece também o pai”. Por isso que nós dizemos que Maria é a mãe de Deus, porque Deus se encarna na humanidade, através de seu filho Jesus. Maria, naturalmente a mãe do filho de Deus, Jesus vindo ao mundo. Maria é para nós e para toda a Igreja, a mãe da Igreja. Ela é aquela também que lá no Evangelho de Lucas, nas Bodas de Caná, vai dizer: “Fazei tudo que meu filho vos disser”. Então, ela coroa para nós esse mistério de Deus. Maria que nos aponta o Cristo, Jesus ressuscitado e é mãe de toda a humanidade, mãe nossa, porque naturalmente nós assumimos Maria como nossa mãe, porque no Deus que se encarna em Jesus, nos o reconhecemos como Pai Salvador e em Maria, a reconhecemos como mãe, por isso a importância dela para o Cristianismo.

Douglas Branquinho: Qual é o papel dela na vida dos cristãos?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: Resumidamente é ajudar a cada um de nós a olhar para a pessoa do Cristo Jesus. Em nenhum momento de sua vida Maria usurpou dessa grandeza, dessa dádiva de Deus na sua vida, por ser a mãe do Salvador, Maria é aquela que esteve com Jesus desde o anúncio, quando ela recebe a mensagem de Deus através do anjo. “Você encontrou graça diante de Deus, então por isso você será mãe do Salvador”, então Maria acolhe a redenção de Deus primeiro no seu ventre, no seu coração e também acolhe e doa essa redenção de Deus para toda a humanidade. Todo o Evangelho mostra Maria junto com Jesus. Então, Maria é aquela que cuida, que ensina, que educa, que participa do Mistério Redentor de Deus em seu filho Jesus.

Douglas Branquinho: Maria fez diversas aparições, sempre destacando a importância da Oração do Rosário. O que isso significa?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: Meditar o Rosário, o Terço Mariano, é muito mais do que repetir Ave Marias, é entrar nos Mistérios da Anunciação, Encarnação, Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Que nós mais uma vez olhemos para Maria, mãe de Jesus, nossa mãe, mãe da Igreja, como aquela que trouxe-nos o Redentor, Jesus. E devotemos à Maria porque ela merece todo o nosso amor, respeito, dignidade e carinho.

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira


Maio, mês em que Maria, mãe de Jesus Cristo, é celebrada

Maria tem um papel singular na história do Cristianismo, a partir do momento em que ela é escolhida por Deus para ser a mãe do Salvador, mãe de Jesus Redentor. Então, olhando para a pessoa de Maria, nós olhamos também para a encarnação de Deus, que se faz humano assim como nós. É o grande mistério de Deus na pessoa humana. Então, por isso nós entendemos que ao falar de Maria, nós estamos falando da mãe do Redentor, aquela que trouxe Cristo Jesus ao mundo para redimir a todos nós da nossa condição de pecado, de escravidão, diante da proposta de salvação de Deus.

Douglas Branquinho: Por que foi escolhido o mês de maio para ser celebrado o mês de Maria?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: É importante saber que a devoção mariana tem suas origens da Europa, durante o século XIII, XIV. É a chegada da Primavera, então os europeus festejavam com muitas festas e durante longos dias, em honra a Deusa da Vegetação. A Igreja, na tentativa de colocar um pouco de ordem nessas festas, ou trazê-las para o Cristianismo, criou o mês de maio, tendo em vista a presença de Maria. A Primavera chegando, Maria como Primavera de Deus, Maria como Primavera para a Eucaristia.

Douglas Branquinho: O que a Igreja nos ensina sobre a devoção à Maria?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: No Evangelho de Lc 1, 48 está escrito: “Todas as gerações hão de chamar-me bem aventurada”, então ser bem aventurada é aquela que foi escolhida por Deus. Então todas aquelas gerações haverão de reconhecer em Maria, aquela escolhida, conforme eu já disse, para ser a mãe do Salvador. Quando nós dizemos que Maria é mãe de Deus, olhando também para o Evangelho de João, em que Jesus vai dizer: “Eu e o Pai somos um. Quem me conhece, conhece também o pai”. Por isso que nós dizemos que Maria é a mãe de Deus, porque Deus se encarna na humanidade, através de seu filho Jesus. Maria, naturalmente a mãe do filho de Deus, Jesus vindo ao mundo. Maria é para nós e para toda a Igreja, a mãe da Igreja. Ela é aquela também que lá no Evangelho de Lucas, nas Bodas de Caná, vai dizer: “Fazei tudo que meu filho vos disser”. Então, ela coroa para nós esse mistério de Deus. Maria que nos aponta o Cristo, Jesus ressuscitado e é mãe de toda a humanidade, mãe nossa, porque naturalmente nós assumimos Maria como nossa mãe, porque no Deus que se encarna em Jesus, nos o reconhecemos como Pai Salvador e em Maria, a reconhecemos como mãe, por isso a importância dela para o Cristianismo.

Douglas Branquinho: Qual é o papel dela na vida dos cristãos?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: Resumidamente é ajudar a cada um de nós a olhar para a pessoa do Cristo Jesus. Em nenhum momento de sua vida Maria usurpou dessa grandeza, dessa dádiva de Deus na sua vida, por ser a mãe do Salvador, Maria é aquela que esteve com Jesus desde o anúncio, quando ela recebe a mensagem de Deus através do anjo. “Você encontrou graça diante de Deus, então por isso você será mãe do Salvador”, então Maria acolhe a redenção de Deus primeiro no seu ventre, no seu coração e também acolhe e doa essa redenção de Deus para toda a humanidade. Todo o Evangelho mostra Maria junto com Jesus. Então, Maria é aquela que cuida, que ensina, que educa, que participa do Mistério Redentor de Deus em seu filho Jesus.

Douglas Branquinho: Maria fez diversas aparições, sempre destacando a importância da Oração do Rosário. O que isso significa?

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira: Meditar o Rosário, o Terço Mariano, é muito mais do que repetir Ave Marias, é entrar nos Mistérios da Anunciação, Encarnação, Vida, Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus. Que nós mais uma vez olhemos para Maria, mãe de Jesus, nossa mãe, mãe da Igreja, como aquela que trouxe-nos o Redentor, Jesus. E devotemos à Maria porque ela merece todo o nosso amor, respeito, dignidade e carinho.

Pe. Edinisio Gonçalves Pereira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays