sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Não creio no amor...





Não creio no amor que oprime, aprisiona, controla, espiona.
Não creio no amor agressivo, impulsivo 
que usa as palavras para ferir a alma, 
para destruir os sentimentos e 
os sonhos mais bonitos...

Não creio no amor de quem não pára 
para dialogar, nunca reconhece os próprios erros, por isso, jamais pede 
desculpas ou perdão, nem admite que 
a outra pessoa possui ao 
menos alguma razão.

Não creio no amor de duas faces, 
que atribui tamanha importância às coisas pequenas e esquece de nutrir 
os sentimentos para que a vida 
(a dois) continue fluindo sempre na 
perspectiva de mais felicidade.

Não posso crer no amor massacrante, 
torturante que não demonstra a 
menor reação diante da dor e da tristeza 
da pessoa, supostamente, amada.

Não creio no amor desconfiado, e sobretudo ciumento ao ponto de criar, inventar 
fantasmas que nunca existiram.

Não creio no amor possessivo, que trata a outra pessoa como objeto, peça 
decorativa ou propriedade.

Não creio no amor que não pensa em zelar 
pela unidade de sentimentos, 
nem pela beleza das emoções. 
Não quero para mim um amor assim.


Teu amor desse jeito possui 
os piores defeitos. 
Portanto, um amor assim...
 deve ficar à centenas de milhas 
distante de mim!
*************

isisdumontprosaeverso.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays