Pular para o conteúdo principal

“Estamos a morrer!” O dia em que a Itália deixou 60 crianças afogarem-se



Sobreviventes do naufrágio chegam ao porto de La Valetta, um dia após o incidente.
Foto
Sobreviventes do naufrágio chegam ao porto de La Valetta, um dia após o incidente. REUTERS/DARRIN 
ZAMMIT LUPI

Onze de Outubro de 2013 foi uma das datas mais negras da
crise migratória desencadeada pela Guerra da Síria. Nesse dia, 268 pessoas, entre as quais 60 crianças, morriam nas águas do Mediterrâneo, perto da ilha italiana de Lampedusa, depois de um barco pesqueiro sobrelotado proveniente da Líbia se ter virado e afundado. Quase quatro anos depois, a revista italiana L’Espresso divulga agora um conjunto de cinco gravações telefónicas que revelam como as autoridades italianas ignoraram durante cinco horas os pedidos desesperados de auxílio de um médico sírio a bordo.

Segundo a revista italiana, que reproduz as gravações áudio no seu site, o primeiro alerta foi dado às 12h39. A essa hora, o centro de operações da guarda costeira italiana, em Roma, recebe uma chamada de Mohanad Jammo, um médico sírio que dá conta dos problemas a bordo, indicando a presença de “cerca de cem crianças, cem mulheres e talvez cem homens”. Na verdade, soube-se mais tarde, estavam pelo menos 480 pessoas no pesqueiro líbio.

“Por favor despachem-se. Está a entrar água. Por favor despachem-se, por favor despachem-se. Por favor. (…) o barco está a afundar-se. Juro, há cerca de meio metro de água no barco”, ouve-se na gravação.

Do outro lado, uma funcionária da guarda costeira pede as coordenadas da embarcação, prontamente indicadas por Jammo. No entanto, não é tomada nenhuma acção na sequência deste contacto.

'Ligue a Malta, ligue a Malta'
Às 13h17, o médico sírio volta a pedir ajuda. “Enviaram alguém? Somos sírios, somos cerca de 300”, diz. Uma voz masculina responde em tom impaciente: “Eu dou-lhe o número de Malta, porque está perto de Malta – perto de Malta, compreende?” Era o início de uma nova fase do incidente, em que Roma e La Valletta empurram entre si a responsabilidade pelo auxílio aos refugiados sírios.

Ao contrário do que a voz masculina alegava, sabe-se agora que o navio estava a 61 milhas náuticas da ilha italiana de Lampedusa e a 118 milhas náuticas da costa maltesa. Naquele momento, a embarcação encontrava-se em águas internacionais, numa área em que Malta era de facto responsável por missões de busca e salvamento. No entanto, havia um navio militar italiano a apenas 20 milhas náuticas do pesqueiro líbio.

A lei marítima internacional, sublinha o jornalista Fabrizio Gatti ao Washington Post, determina que a Itália tinha por isso o dever de socorrer os refugiados sírios.

É isto que Jammo diz num terceiro telefonema, às 13h48. “Eu liguei a Malta. Eles disseram-nos que estamos mais próximos de Lampedusa do que de Malta. Eu dei a nossa posição, vocês estão nas proximidades. Estamos a morrer, por favor!”, ouve-se na gravação que Gatti obteve através de uma fonte anónima maltesa.

“Estamos a morrer! Trezentas pessoas! Estamos a morrer!”, exclama o médico sírio. “Ligue a Malta, ligue a Malta”, respondem as autoridades italianas.

Troca de faxes entre Roma e La Valetta
Durante a tarde, num quarto telefonema divulgado pela revista transalpina, as forças armadas maltesas e a guarda costeira italiana continuam a debater quem deve sair em auxílio dos sírios. Refere-se até uma troca de faxes, apesar da urgência da situação. Malta está disposta a participar no resgate, mas Itália tem de agir primeiro. E eis que Roma justifica a sua recusa: o navio que está a pouco mais de uma hora do pesqueiro líbio é um activo estratégico na vigilância daquelas águas, e o resgate dos sírios implicaria posteriormente uma viagem até Lampedusa, deixando a área desguarnecida.

O melhor do Público no email
Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público.
Subscrever×
Às 17h07, novo telefonema de Malta para Itália. Agora, o tom é grave. Um avião maltês sobrevoou a área e confirmou que o pesqueiro líbio acabou por adornar. Há centenas de pessoas na água e La Valetta exige a Roma a mobilização dos seus meios. É só então que os italianos iniciam a operação de salvamento.

Continuar a ler
https://www.publico.pt/2017/05/09/mundo/noticia/estamos-a-morrer-o-dia-em-que-a-italia-deixou-60-
criancas-afogaremse-1771516

Comentários

Eles estão caçando gays

ENTREVISTA NETINHO - LENDA VIVA DO ROCK BRASILEIRO LANÇA BIOGRAFIA

Gente, ontem à noite eu assisti à uma entrevista no Programa "PRAZER EM CONHECER" da REDE VIDA, cujo entrevistado era netinho dos incríveis. confesso que fiquei encantada com sua história de vida, seu jeito simples e com um belo sorriso no rosto durante todo o programa. sua fé em deus e o milagre que alcançou quando há 17 anos teve que de repente se submeter à uma cirurgia para retirar um câncer maligno da laringe, perdeu todas as cordas vocais e parte da laringe. foi desenganado pelos médicos que lhe disseram que ele jamais falaria, mas ele, enfim recuperou a voz e fala bastante. é considerado um miraculoso. recebeu de deus a graça de ter de volta o poder de falar. coisa de deus mesmo! eu me emocionei com suas palavras e sua filosofia de vida, e de muita fé em deus. por isso, achei por bem publicar essa outra entrevista do netinho. penso que as coisas boas devem ser espalhadas, multiplicadas, para que outras pessoas tomem conhecimento. vale à pena conferir!
Aparecida Ramos
Ne…

HIPÉRBOLE EM POESIA

Gostaria de poder te oferecer O sol para aquecer teu coração, A lua para vigiar teu sono, O mar para acolher tuas dores e tristezas E as estrelas para iluminar tua vida.
Gostaria de poder te oferecer A montanha para teu contemplar, O vale para sonhar, O lago para te banhar, E o prado para teu lazer.
Gostaria de poder te oferecer A brisa para te acariciar, O bosque para te trazer paz, A primavera para perfumar tua vida E a ilha para meditar.
Gostaria de poder te oferecer Um oceano de alegrias Para repartir com os outros E um rio de felicidades Para vivê-las junto aos teus.
Gostaria de poder te oferecer Uma montanha de bênçãos Para te coroar, E um arquipélago de carinhos Para te fazer mais feliz.
Gostaria de poder te oferecer A maior constelação De bons sonhos Para que tenhas Mais motivos para viver.
Mas mesmo distante Posso te oferecer Meu amor em oração

Rubem Alves, em frases românticas... Espetacular!!!

Alvo de ação criminal, presidente da Petrobras Bolívia cumpre prisão domiciliar

Direito de imagemDIVULGAÇÃO/AGÊNCIA PETROBRASImage captionConstrução de trecho do gasoduto Bolívia-Brasil; Petrobras afirma que disputa na Justiça boliviana tem natureza estritamente comercial O presidente da Petrobras Bolívia, o brasileiro Marcos Benício Pompa Antunes, está cumprindo prisão em regime domiciliar em Santa Cruz de la Sierra desde o dia 22 de março por causa de uma ação criminal que corre na Justiça boliviana. A Petrobras confirmou à BBC Brasil a prisão de Antunes, mas afirmou, por meio de nota, que "a disputa tem natureza estritamente comercial, tendo sido indevidamente levada à Justiça criminal naquele país". A ação contra a subsidiária da Petrobras está sendo movida desde outubro pela Vialco, uma companhia privada boliviana contratada para prestar um serviço de terraplanagem para perfuração de poço no Bloco San Antonio. Cinco motivos que levaram o Rio à pior crise de segurança em mais de uma décadaAs 3 grandes incógnitas sobre a Assembleia Constituinte convoc…

Viagem... rs Passando para desejar-lhes um dia hiper abençoado!!!!!! Beijosssss