sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Servidores do Rio e policiais entram em confronto em frente à Alerj


Ricardo Moraes/Reuters
Manifestantes entraram em confronto com a polícia |
 Ricardo Moraes/Reuters
Agências bancárias foram depredadas e pelo menos uma loja foi saqueada durante manifestação no Rio de Janeiro contra a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae). A manifestação começou por volta do meio dia de forma pacífica, mas acabou em confronto entre manifestantes e policiais militares a partir das 15h30.
A manifestação que começou no em torno da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e se espalhou para outras ruas do centro do Rio. Os confrontos continuavam às 19h30, com o foco principal na Avenida Rio Branco, onde várias agências bancárias tiveram os vidros e os caixas eletrônicos quebrados e uma loja de roupas teve a cortina de aço arrombada e foi saqueada.
A polícia militar permanece na região, circulando com diversas viaturas, motos e veículos blindados para tentar dispersar os manifestantes utilizando bombas de gás e de efeito moral e disparando tiros de balas de borracha.
Os manifestantes protestam contra a votação de um projeto na Alerj que privatiza a Cedae, condição imposta pelo governo federal para a renegociar a dívida do estado com a União.
Metro Jornal

Um comentário:

  1. Amiga Aparecida, choverei no molhado, mas, para não ficar calado: protestos pacíficos são válidos (sei que você concorda), mas como somos incivilizados, achamos isso muito pouco e partimos para o saque, o achaque, o roubo, e pior, que ainda achamos justificativas para os nossos atos torpes.
    Um abraço daqui do sul. Tenhas um dia coberto de bençãos.

    ResponderExcluir

Eles estão caçando gays