quinta-feira, 26 de maio de 2016

LITURGIA DIÁRIA - DEUS NÃO QUER AGIR SOZINHO



Evangelho - Lucas 9,11-17
Aleluia, aleluia, aleluia. Eu sou o pão vivo descido do céu; quem deste pão come, sempre há de viver! (Jo 6,51) 

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
9 11 Logo que a multidão o soube, o foi seguindo; Jesus recebeu-os e falava-lhes do Reino de Deus. Restabelecia também a saúde dos doentes.
12 Ora, o dia começava a declinar e os Doze foram dizer-lhe: “Despede as turbas, para que vão pelas aldeias e sítios da vizinhança e procurem alimento e hospedagem”, porque aqui estamos num lugar deserto.
13 Jesus replicou-lhes: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Retrucaram eles: “Não temos mais do que cinco pães e dois peixes, a menos que nós mesmos vamos e compremos mantimentos para todo este povo”.
14 (Pois eram quase cinco mil homens.) Jesus disse aos discípulos: Mandai-os sentar, divididos em grupos de cinqüenta.
15 Assim o fizeram e todos se assentaram.
16 Então Jesus tomou os cinco pães e os dois peixes, levantou os olhos ao céu, abençoou-os, partiu-os e deu-os a seus discípulos, para que os servissem ao povo.
17 E todos comeram e ficaram fartos. Do que sobrou recolheram ainda doze cestos de pedaços.
Palavra da Salvação.

 Reflexão


O CORPO DE DEUS está à disposição para ser alimento de todas as almas em qualquer momento e em todas as circunstâncias da nossa vida, não importando se a hora já está adiantada. No entanto, neste Evangelho Jesus nos amostra o que precisa de nós para que este milagre aconteça. Deus não quer agir sozinho!  Quando acolhia as multidões e lhes falava do reino de Deus curando-as das suas mazelas físicas e espirituais, Jesus já sabia de que elas precisariam de alimento para o resto da caminhada. Sabia que somente a cura e o anúncio do reino de Deus não os sustentariam depois que saíssem dali. Sabia que com a chegada do fim do dia, ao entardecer eles iriam enfraquecer. Por isso, Ele se voltou para os Seus discípulos, que já estavam fortes e bem alimentados, e deu-lhes instrução para que eles mesmos dessem de comer àquelas pessoas, dizendo: “Dai-lhes vós mesmos de comer”. Jesus sabia que os Seus discípulos tinham algo para oferecer, o que, mesmo sendo pouco, daria para nutrir uma multidão e, para muito mais. Eles, porém, subestimavam o que possuíam e apelavam para a maneira mais prática e confortável: “Só temos cinco pães e dois peixes. A não ser que fôssemos comprar comida para toda essa gente”. No entanto, Jesus nem aventou com essa possibilidade e prosseguiu com as Suas instruções: “Mandai o povo sentar-se em grupos de cinquenta”. E depois de tomar os cinco pães e os dois peixes que os discípulos colocaram à disposição, “Jesus elevou os olhos para o céu, abençoou-os e deu aos discípulos para distribuí-los à multidão”. É essa a metodologia de Jesus para nós, seus discípulos e discípulas: fazer-nos participantes dos Seus milagres entre os homens aqui na terra. Jesus poderia ter rogado ao Pai e do nada o milagre teria acontecido, no entanto, Ele nos mostrou que a nossa participação é imprescindível. A Sua Palavra nos serve de alimento e de instrução para que os prodígios aconteçam por meio de nós. A PALAVRA DE DEUS é alimento comparável AO CORPO E SANGUE DO SENHOR. Quando anunciamos a Palavra e a interpretamos sob a luz do Espírito Santo estamos saciando a fome de Deus que as pessoas têm. São, os nossos cinco pães e dois peixinhos os quais, colocamos à disposição para que Deus realize o milagre. Precisamos, no entanto, seguir as instruções do Mestre e fazer com que as pessoas se assentem e formem grupos homogêneos, com a mesma disposição, com a mesma fome e vontade de se alimentar, com os mesmos objetivos e propósitos, do contrário estaremos “malhando com ferro frio”. Jesus não nos mandou distribuir alimento aleatoriamente, de acordo com a nossa vontade própria, apregoando o que pensamos e entendemos. Ele nos deu um caminho e nos instruiu a segui-lo. Assim com precisa de nós para alimentar o povo com a Sua Palavra, da mesma forma Deus precisa da nossa participação na Eucaristia quando o milagre da transubstanciação acontece. A nossa parte é ofertar a Ele a matéria do pão e do vinho que são os frutos do trabalho do homem. No entanto, não bastam apenas o pão e o vinho material, mas o nosso acolhimento espiritual manifestado pela fé na presença real de  JESUS na HÓSTIA CONSAGRADA. SEM a nossa fé estaremos comungando inútil e indignamente. A fé é quem nos faz sair do nosso comodismo e vestir a veste de Cristo nos tornando um com Ele. – A sua alma precisa de alimento? – Aonde você tem ido buscar esse alimento? – Você tem conseguido “sentar-se” para participar da ceia? – Você tem ido aos lugares onde existe alimento? – Qual é a sua participação nos milagres que Cristo realiza na vida das pessoas? – Você se sente inserido neste mistério? – Você tem tido paciência com as pessoas que estão famintas de Deus e não sabem manifestar isto? – Como e que você conhece quando uma pessoa tem fome de Deus?   




Helena Serpa 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays