terça-feira, 3 de novembro de 2015

Sargento morto em troca de tiros com a Polícia Federal é enterrado no TO

Enterro foi realizado em Porto Nacional, a 52 km de Palmas.

PM lamentou a morte do militar: 'morreu cumprindo sua missão'.


Enterro de sargento 2 (Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera)
Enterro de sargento ocorrreu em Porto Nacional (Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera)


O corpo do sargento Wiratan Fraga dos Santos, morto em uma troca de tiros com policiais federais em Pindorama do Tocantins, foi enterrado na manhã desta terça-feira (3) no cemitério São José, em Porto Nacional, a 52 km de Palmas. O velório do militar ocorreu na tarde de segunda-feira (2), na igreja evangélica Batista de Vila Nova, onde ele congregava.
"Lamentamos profundamente a tragédia que vitimou o sargento Wiratan Fraga dos Santos, que morreu cumprindo sua missão de defender a sociedade. Informamos ainda que a Polícia Militar está prestando todo apoio à família do nosso policial", disse a PM em nota.
Sargento Wirantan Fraga dos Santos morreu durante troca de tiros (Foto: Arquivo Pessoal)
Sargento Wiratan Fraga dos Santos morreu
durante troca de tiros (Foto: Arquivo Pessoal)
Segundo informações da corporação, a vítima e um outro militar receberam uma denúncia de que alguns indivíduos não identificados estavam dentro da agência dos Correios do município. Mas quando chegaram no local, os suspeitos já teriam fugido. Neste momento, os agentes federais chegaram e começou a troca de tiros.
Ainda segundo a PM, os agentes federais chegaram em uma van não identificada. A corporação disse que o Grupo de Operações Táticas da Polícia Civil (GOTE) foi ao local e só então foi possível identificar que se tratavam de policiais no veículo. Porém, o GOTE não participou da troca de tiros.

Enterro de sargento 1 (Foto: Ana Paula Rehbein/TV Anhanguera)
O militar baleado foi socorrido, mas não resistiu e morreu. "O Comando da Polícia Militar informa que adotará todas as medidas para acompanhar o caso. Além de acompanhar os trabalhos de investigação, a PM instaurará os procedimentos cabíveis para esclarecer as circunstâncias em que essa situação ocorreu", disse a corporação.

Também em nota, o Sindicato dos Policiais Federais do Tocantins (Sinpef) afirmou que "os Policiais Militares confundiram o carro dos Policiais Federais, uma van não ostensiva, e acreditando que os criminosos estivessem retornando a cena do crime dispararam em direção ao veículo antes que os agentes desembarcassem. Neste momento, os policiais federais revidaram acreditando que estavam em combate com os criminosos".

Versões

Em nota oficial, a PM disse que "os militares foram surpreendidos pela Polícia Federal em uma van sem qualquer caracterização e os policiais federais passaram a atirar na direção dos militares que estavam abrigados, os quais revidaram."

Apesar dos posicionamentos contrários, só uma investigação poderá esclarecer o caso. Procurada pelo G1, a Polícia Federal informou que os agentes seriam ouvidos e só depois será publicada uma nota oficial.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays