terça-feira, 20 de outubro de 2015

A DIFÍCIL ARTE DA FÉ




A fé é o fundamento da esperança, é a certeza a respeito do que não se vê.    

 ( Heb.11,1)

Ter fé é banir da vida o “e se?” e caminhar com a cabeça erguida, sem olhar para trás e nem para os lados; é ter a convicção de que aconteça o que acontecer, o objetivo será atingido.
Há quem pense que ter fé é se jogar num buraco escuro, sem saber o que o espera embaixo; mas é exatamente o contrário.

Quem tem fé se joga no buraco escuro sim, mas ele sabe, através dos olhos espirituais, o que o espera e não duvida disso; ele constrói sua arca com a certeza que a chuva virá; ele abre os olhos para a promessa e fecha os ouvidos para os que tentam fazê-lo desistir com dúvidas; ele anda sobre as águas e sente terra firme sob os pés; ele vê saídas e continua a caminhar onde outros desistiram.

Temos fé quando temos a certeza absoluta que não estamos sós.  Sabemos que uma Mão nos guia, braços nos esperam e isso nos reconforta.
Perdemos bênçãos por que no meio do caminho, principalmente se este for longo, começamos a questionar. Mas não é fácil pra ninguém manter-se em posição de fé quando tudo parece contrário ao que se espera.

As pessoas mais próximas de Jesus duvidaram.
Pedro começou a afundar ao andar sobre as águas, os discípulos todos entraram em pânico por causa de uma tempestade, mesmo tendo o Mestre do lado e Tomé quis tocar a ferida com as próprias mãos.
Somos assim, nós, incrédulos, porque somos por demais materialistas. Fôssemos mais espirituais e nossa vida seria diferente. Quem só acredita naquilo que vê, só experimenta daquilo que vê; quem acredita em Deus, experimenta a diversidade de bênçãos que Deus coloca a nossa disposição.

A fé é um exercício diário de confiança em Deus e é o resultado da convivência com Ele.
Só que Deus não é um Deus que impõe. A nós cabe a busca. Quem já tem fé planta em desertos e vê campos floridos. Quem não tem peça que Deus dá com alegria.

Quando olho para os homens de nossa Sagrada Escritura fico admirado com a ousadia em que se colocavam diante dos obscurecidos momentos, quando vejo um Davi entrando na cova dos leões e esperando apenas não para ser engolido , mas esperando na justiça de Deus entregando confiante aos dentes das feras.
Meu Deus você já pensou o que é isso?
Fico a refletir e vejo quanto ainda nem cheguei a uma fé do tamanho do grão de mostarda, pois Jesus disse que esta transporta montanhas e ainda vejo tanto obstáculos tão menores a minha frente que as vezes não consigo transpor.

Confiança é assim que podemos resumir com as palavras de Santa Teresa de Jesus neste caminho: «Importa muito, e acima de tudo, uma determinada determinação de não parar até chegar à fonte de água viva, venha o que vier, suceda o que suceder, custe o que custar, murmure quem murmurar, quer chegue ao fim, quer morra no caminho, ou falte coragem para os sofrimentos que nele se encontram.
Ainda que o mundo venha abaixo, havemos de prosseguir.» [Santa Teresa de Jesus, Caminho de Perfeição]

Podemos ainda pensar em Tomé que foi preciso ver para crer , quando é crendo que passamos a ver .

Senhor eu creio, mas aumentai a minha fé.
Senhor eu espero, mas sustentai minha esperança.
Senhor eu amo, mas fortalecei o meu amor.
                                                                        Pe. Emílio Carlos Mancini.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays