Elas morreram junto



Penso nas mulheres que deixaram de viver, mulheres que simplesmente perambulam, vegetam, levam uma vida sem sentido algum... E essa vida 'vegetativa' não ocorre porque elas querem, mas... porque (injustamente) alguém, sem direito algum lhes roubou o bem mais precioso e, consequentemente (delas) o direito de viver e ser feliz.
Elas são mães que perdem, que perderam seus filhos, muitas vezes da pior forma possível.
Filhos que partem prematuramente, deixando órfãos não somente seus próprios filhos, mas também seus pais... Vitimados pela violência que está cada vez mais crescente em nossa sociedade.


Infelizmente, meus amigos/irmãos, vivemos ou 'sobrevivemos' em um país onde não há leis para proteger a vida!!
Somos mau representados por um Congresso Nacional que não se envergonha de ser omisso, permitindo que criminosos sejam 'protegidos', muitas vezes sob a aplicabilidade da pena mínima, e deixando as famílias que perderam seus entes queridos, sofrendo além da dor da perda, a dor moral, a sensação de impotência e abandono por parte daqueles que 'obrigatoriamente' deveriam ter responsabilidade e zelar pela segurança e pela vida de seus representados.

Muitas vezes, temos a sensação de que a única lei (penal) que vale neste país é a lei da "Impunidade"!
*************************************

"A “lei da impunidade” beneficia o criminoso também permitindo a fiança em crimes com pena igual ou inferior a quatro anos, seja de reclusão ou detenção como porte de arma, furto simples e sequestro ficando a prisão reservada somente para crime hediondo. 
Nestes casos o ”Estado” ganha com a fiança e deixa de gastar com a prisão mas quem perde mesmo com tudo isto é a sociedade, perde em seu direito de ir, vir e estar em segurança, perde ao saber que todo crime é um crime e não o deixa de ser independente de onde, quando, como, porque aconteceu e há quanto tempo; perde financeiramente, perde ao ver impregnar-se uma cultura violenta de generalizada impunidade, perde por ter que manter o preso com seus impostos sendo que eles deveriam trabalhar obrigatoriamente para manter seus custos.
É a certeza da impunidade que leva os infratores a dar risadas no momento da prisão e a voltar a cometer crimes quando voltam para as ruas. Quando o Brasil quiser realmente combater a criminalidade, deixará de fazer leis que beneficie os criminosos e tomará medidas punitivas, exemplificativas e educativas no combate a criminalidade!"

Comentários