segunda-feira, 13 de julho de 2015

Este talvez seja o email mais importante que já escrevi para a comunidade















Caros amigos da Avaaz,

.

Algum tempo atrás, um cientista saiu em sua expedição anual ao oceano ártico na Rússia para conferir os níveis de plumas nocivas de gás metano vindas do oceano. Ele já tinha visto centenas dessas plumas, com cerca de um metro de diâmetro cada, que emitiam gases 50 vezes mais poluentes para nosso clima do que o dióxido de carbono. Desta vez, no entanto, ao analisar a primeira pluma, ele não acreditou no que estava vendo. Era uma pluma com UM QUILÔMETRO de extensão. Uma vasta coluna de gás perfurando nossa atmosfera. Ele continuou sua avaliação e encontrou outra pluma gigante, e outra, e outra. Centenas delas. 

É sobre isso que os cientistas têm nos alertado. À medida que o planeta aquece, surgem "pontos críticos" que aceleram o aquecimento descontroladamente. O aquecimento derrete o gelo do mar do Ártico e destrói um grande "espelho" branco, que antes refletia o calor de volta para o espaço. Mas com o derretimento, os oceanos ficam mais quentes, contribuindo para derreter mais gelo, em um efeito dominó. Tudo fica fora do controle. Em 2014, tudo – tempestades, temperaturas – chegou a níveis jamais vistos. Foi o ano mais quente da história. 

Podemos impedir isso, se agirmos rápido e em conjunto. Diante dessa ameaça de extinção, poderemos criar um futuro inspirador para nossos filhos e netos. Um futuro verde, limpo e em equilíbrio com o planeta que permite a nossa vida. 

Temos 5 meses até a Cúpula de Paris, o encontro que definirá os esforços coletivos para lutar contra as mudanças climáticas. Parece muito distante, mas não é. Serão 5 meses para colocar nossos líderes nessa Cúpula, apresentar-lhes um projeto, e fazê-los levar o plano adiante. Somos nós contra as empresas de petróleo e o fatalismo. 

Podemos e devemos vencer. Para isso, precisamos dar nosso melhor na Cúpula de Paris. Com pequenas doações em qualquer moeda, conseguiremos dar o impulso necessário em nosso trabalho para vencer em Paris. Somente processaremos sua doação se atingirmos a nossa meta. Pelo mundo com o qual sonhamos, vamos tornar isto realidade: 

Clique para se comprometer com o que puder. Nós somente processaremos sua doação se alcançarmos nossa meta de 10 mil novos doadores:




Ou se comprometa com uma doação única hoje.

O fatalismo sobre as mudanças climáticas não é só inútil, como também é incompetente. Já passou da hora, mas ainda temos condições reais de impedir essa catástrofe, simplesmente trocando a exclusividade do carvão e do petróleo em nossas economias por outras fontes de energia. Isso vai unir as pessoas em todo o mundo ainda mais: um comprometimento profundo e em cooperação para proteger o nosso planeta. É uma perspectiva muito bonita e o tipo de futuro que a comunidade da Avaaz nasceu para criar. Precisaremos de um coração forte e muita esperança para encarar esse desafio, e também de todas as ideias inteligentes possíveis. Aqui está o plano: 

1.     Do sucesso local ao sucesso global. O G7 se comprometeu a eliminar os combustíveis fósseis da economia global há algumas semanas atrás! É uma notícia incrível -- e se conseguirmos que mais países se comprometam a fazer a mesma coisa nos próximos meses, o mundo inteiro poderá enfim chegar a um acordo por um futuro com energia limpa na Cúpula de Paris!
2.     Grande mobilização. A marcha do clima do ano passado foi um divisor de águas político. Por isso, um dia antes dos líderes mundiais chegarem para a Cúpula, realizaremos marchas em Paris e várias outras cidades globais para mostrar que as pessoas em todas as partes do mundo estão exigindo que os líderes voltem para casa com um acordo do clima histórico. Estamos mais ambiciosos, mais ágeis e mais fortes desta vez.
3.     Pressão no Hollande. O presidente francês, François Hollande, será o anfitrião da Cúpula de Paris -- uma posição de poder. Temos que pressionar Hollande por um acordo ambicioso. Ele já se encontrou com a Avaaz duas vezes e saiu de ambas as reuniões prometendo que faria de tudo por um acordo ambicioso. Mas, é claro, precisamos garantir que ele não desista disso quando a coisa ficar feia.
4.     Partir para novos desafios. O tamanho desta crise exige ações que vão além de campanhas ocasionais. Chegou a hora de executarmos ações fortes, diretas, não-violentas e que capturem o imaginário popular, tornem explícita a urgência do problema e motivem outras pessoas a agirem também. A marcha do clima foi o primeiro passo. Segundo passo: algo como o movimento "Occupy".
5.     Definir o que será o acordo. Mesmo diante de uma catástrofe planetária, 195 governos em uma sala podem simplesmente não chegar a uma solução. Em meio a discussões complexas de políticas públicas, precisamos definir os limites de um acordo e organizar a imprensa e os políticos em torno destes limites. Nosso foco principal: um comprometimento claro com um mundo sem emissões de CO2, alimentados por energia 100% limpa. Isso vai colocar a indústria de combustíveis fósseis em estado de alerta e redirecionar investimentos privados maciçamente em energias renováveis.
Precisamos que milhares de nós se comprometam com pequenas doações para colocar este plano em prática. Não importa a quantia; o importante é fazer uma escolha -- escolher ter esperança, escolher agir: 




Ou se comprometa com uma doação única hoje. 

Na última grande cúpula do clima, em 2009, em Copenhague, nossa comunidade foi fundamental nas "eleições climáticas" do Japão e da Alemanha, colocando pressão para mudar a política climática do Brasil, e ajudando a conseguir um acordo financeiro global no qual os países se comprometeriam a doar 100 bilhões de dólares por ano para os países pobres combaterem os efeitos das mudanças climáticas. Naquela época, a Avaaz tinha apenas 3 milhões de pessoas. Após Copenhague, descobrimos que precisávamos crescer para lidar com o nível do desafio imposto pelas mudanças climáticas. Agora somos mais de 40 milhões, e continuamos a crescer rapidamente. 

As mudanças climáticas são um problema de ação coletiva mundial que exige a cooperação de todos os governos do mundo. Com os milhões de nós unidos em uma visão comum e espalhados por todas as nações, a Avaaz é a solução para uma ação coletiva.Chegou a hora de construirmos um mundo para nossas crianças cuja beleza esteja à altura dos nossos sonhos. Vamos dar o primeiro passo juntos. 

Com esperança e gratidão por essa incrível comunidade, 

Ricken e toda a equipe da Avaaz 

MAIS INFORMAÇÕES:

Papa pede mais coragem aos países na luta contra a mudança climática (G1)

ONU diz que 2014 foi o ano mais quente registrado na Terra (Terra)

"Grandes plumas de metano escapando do oceano" descobertas no oceano ártico da região da Sibéria (em inglês) (Daily Kos)

5 razões pelas quais precisamos de um acordo do clima em 2015 (em inglês) (Switchboard NRDC)

10 sinais de que as estrelas estão se alinhando por um acordo do clima em Paris (em inglês) (The Guardian)

A "espiral da morte" do gelo ártico (em inglês) (Slate)


Um comentário:

  1. Bom dia, Aparecida.
    Não sei se sou fatalista, mas baseada em coisas que li de cientistas renomados, como Tim Flannery, já é tarde demais.

    ResponderExcluir

Eles estão caçando gays