Injusto mundo cão (poesia concreta)



Enquanto as pessoas se divertiam,
dançavam, comiam e bebiam,
ouvindo músicas 'daquelas',
a festa estava animada,
eles trabalhavam duro
na noite e madrugada.

Olhando de minha janela,
(as três e meia da manhã)
pude ver numa calçada
vários sacos empilhados,
cheios até as bordas,
de materiais recicláveis.

Era seu Paulo e o filho
que em nada se divertiram,
mas deram sua contribuição
retirando do ambiente
toda aquela poluição!

Eu fiquei a imaginar
na vida dura que levam,
quando para sobreviver, 
precisam resíduos sólidos catar
e posteriormente vender!
*****
Imagem do Google.
Nome fictício, embora eu conheça as pessoas que fazem esse trabalho, o qual não deixa de ser digno e merecedor de respeito, como outro qualquer!

Comentários