Semeadura



O silêncio da semente solitária
É o que move o sonho do que semeia
Semeadura é ver a vida futura agrária
Numa esperança colhida em lua cheia.
Deixa a alma enluarada.

Sacia-te dessa angústia passageira.
Quem planta montanha no horizonte
Colhe pedra numa rama de pedreira,
Escorre a lágrima transborda a fonte
Solidão se esvai na corredeira.

Que a esperança seja a tua padroeira,
Destila a seiva numa flor pela manhã,
Renova a fé ainda que seja a derradeira
Quando se espera pela chuva temporã
A vida se inunda de paixão.

Colhe o fruto da tua missão
Árdua lida sob o sol brilhante,
Outrora silenciosa visão,
Revigora o teu semblante
E reparte tua água e o teu pão

Quem semeia mágoa e indiferença
Fatalmente colhe fardos de solidão
Quem semeia entendimento e perdão
Com amor já fez toda a diferença

Fartura de compreensão.
*****
Ademar Siqueira
(Poeta/escritor cadastrado no Recanto das Letras)
Grata por compartilhar, querido amigo!

Comentários