sábado, 3 de janeiro de 2015

Na hora de "trocar" a conversa é outra




Não me recordo se alguma vez comprei algo para mim ou para minha casa e posteriormente precisei retornar à loja para solicitar uma "troca" ou substituição mediante defeito apresentado ainda dentro do prazo informado pelo vendedor. Recentemente adquiri um eletrodoméstico e, ao tentar usá-lo pela primeira vez, percebi que apresentava um ruído estranho, além do habitual ou normal ao ser ligado na tomada. Hoje me dirigi até a tal loja ("famosa" pela publicidade nas mídias), procurei o gerente e depois o que "ele" ouviu minha reclamação, simplesmente teve a "cara de pau" de me falar que o prazo (estipulado pela loja) para devolução é de apenas três dias úteis. Isso eu já sabia e não fui lá para devolver. O que eu não tinha conhecimento era que, por haver ultrapassado um dia (hoje) descontando o dia de Ano Novo, eu não poderia receber outro objeto no mesmo valor substituindo o outro, supostamente com defeito de fabricação.
Me aborreci e solicitei o número do fabricante, um 0800, para na próxima segunda feira entrar em contato e transmitir minha insatisfação em forma de reclamação.
Além de pagar caro por algo que nem vale a pena utilizar,  ainda me aborrecer com gente/representante de loja que atende mal ao cliente, porque não tem responsabilidade nem compromisso em respeitar o direito dos outros.
Eu bem que poderia está livre dessa chatice. Poderia ter esperado um pouco mais e comprado em outro lugar, quando decidisse fazer uma das minhas viagens.
**************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays