quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Em defesa dos ipês

Associação quer impedir corte de Ipês e propõe construção de ciclovia em avenida de JP

Para Socorro Fernandes, integrante da diretoria da Apan, as obras na Beira Rio não vão solucionar o problema de mobilidade urbana na cidade
Ipês não precisam ser cortados, defende Apan
Ipês não precisam ser cortados, defende Apan

A Associação Paraibana dos Amigos da Natureza (Apan) está preocupada com a situação dos ipês da Avenida Beira-Rio, diante das obras para o tráfego (ponte, rotatória e corredor do Bus Rapid Transit - BRT). Para Socorro Fernandes, integrante da diretoria da Apan, as obras não vão solucionar o problema de mobilidade urbana na cidade. A Apan propõe a construção de uma ciclovia no local para evitar o corte de árvores. A associação ainda pede transparência da prefeitura para divulgar o projeto à população. 
Na Beira-Rio, há 133 ipês. Na cidade, existem 1.600, sendo 1.200 amarelos, 200 roxos e 200 rosas, de acordo com a Secretária de Meio Ambiente. 
Socorro Fernandes conta que os ipês trazem beleza à cidade, além de ajudar no equilíbrio da temperatura. “Haverá um desequilíbrio ecológico e perda de qualidade de vida. Existem animais noturnos que se reproduzem no local”, argumentou. Para ela, a solução da mobilidade na Capital é investimento no transporte coletivo. “A prefeitura já divulgou dados que mostraram que só 20% usam automóvel em João Pessoa. Boa parte usa transporte coletivo e bicicleta para se locomover”, afirmou. A Apan disse que já foi à prefeitura várias vezes, desde 2013, para pedir o projeto da Beira-Rio, para que possam propor soluções mais adequadas para evitar o corte de ipês. 
A reportagem tentou contato com as secretarias de Planejamento  e Infraestrutura, mas não conseguiu até o fechamento desta edição. 
Portal Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays