Nordestino (PE) Eduardo Campos... Uma estrela em ascensão na política brasileira (Veja sua Biografia e carreira política)

Biografia de Eduardo Campos

Neto de Miguel Arraes, presidenciável faleceu no mesmo dia do avô

Eduardo Henrique Accioly Campos nasceu em Recife, Pernambuco, no dia 10 de agosto de 1965. Economista e político brasileiro, Eduardo foi governador de Pernambuco, presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e candidato à Presidência da República.

Campos era graduado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Neto do também político Miguel Arraes que em 1979 retornou ao Brasil após 15 anos no exílio e faleceu no dia 13 de agosto de 2005. Desde cedo Eduardo conviveu com nomes emblemáticos da política local e nacional.

Trajetória Política

Eduardo Campos começou na política ainda na universidade quando foi eleito presidente do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia. Em 1986, Campos trocou a oportunidade de fazer um mestrado nos Estados Unidos pela participação na campanha que elegeu o avô Miguel Arraes como governador de Pernambuco. Com a eleição de Arraes, em 1987, passou a atuar como chefe de gabinete do governador. Neste período foi o responsável pela criação da primeira Secretaria de Ciência e Tecnologia do Nordeste e da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia de Pernambuco (FACEPE).
Campos se filiou ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), em 1990. No mesmo ano foi eleito deputado estadual e conquistou o Prêmio Leão do Norte concedido pela Assembleia Legislativa de Pernambuco aos parlamentares mais atuantes.
Em 1994, Campos foi eleito deputado federal com 133 mil votos. Pediu licença do cargo para integrar o governo de Miguel Arraes como secretário de Governo e secretário da Fazenda, entre 1995 e 1998. Neste último ano voltou a disputar um novo mandato de Deputado Federal e atingiu o número recorde de 173.657 mil votos, a maior votação no estado.
Em 2002, pela terceira vez no Congresso Nacional, Eduardo Campos ganhou destaque e reconhecimento como articulador do governo Lula nas reformas da Previdência e Tributária. Por três anos consecutivos esteve na lista do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) entre os 100 parlamentares mais influentes do Congresso.
No decorrer de sua vida pública no Congresso Nacional, Eduardo Campos participou de várias CPI, como a de Roubo de Cargas e a do Futebol Brasileiro (Nike/CBF). Nesta última, atuou como sub-relator, onde denunciou o tráfico de menores brasileiros para o exterior fato que, inclusive, teve ampla repercussão na imprensa nacional e internacional.
Como deputado federal, Eduardo foi ainda presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Natural Brasileiro, criada por sua iniciativa em 13 de junho de 2000. A Frente tem natureza suprapartidária e representa, em toda a história do Brasil, a primeira intervenção do Parlamento Nacional no setor.
Eduardo é também autor de vários projetos de lei. Entre eles, o que prevê um diferencial no FPM para as cidades brasileiras que possuem acervo tombado pelo IPHAN; o do uso dos recursos do FGTS para pagamento de curso superior do trabalhador e seus dependentes; o que tipifica o sequestro relâmpago como crime no código penal; e o da Responsabilidade Social, que exige do Governo a publicação do mapa de exclusão social, afirmando seu compromisso com os mais carentes.

Família


Campos era filho de Ana Arraes, ex-deputada federal e atual ministra do TCU (Tribunal de Contas da União), e do poeta Maximiano Campos (1941-1998). Ele considerava o escritor Ariano Suassuna, que morreu em julho deste ano, uma espécie de segundo pai, já que morava na casa em frente à do poeta e costumava seguir seus conselhos.Pelos mais próximos, Eduardo Campos era carinhosamente chamado de Dudu.
Eduardo Campos foi casado com a também economista e auditora do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco Renata Campos. O casal se conheceu na infância, na casa de Suassuna –tio de Renata–, quando ele tinha 8 anos e ela, 6. Com ela teve cinco filhos José, João, Pedro, Maria Eduarda e o bebê Miguel, nascido no dia 28 de janeiro de 2014 e diagnosticado com Síndrome de Down. No último domingo, dia 10 de agosto, data em que se comemorava o dia dos pais e o aniversário de 49 anos de Eduardo Campos, foi publicado no canal oficial do candidato no Youtube um vídeo onde os filhos falavam um pouco do pai, dizendo o quanto o amam, agradecendo e dando parabéns pela data especial.

Corrida presidencial


A aliança política de Campos com Marina Silva, na candidatura à Presidência, no ano passado, foi considerada uma grande jogada política, mas os índices das pesquisas eleitorais não chegaram a refletir o potencial que ele imaginara para a associação.
A dupla procurou encampar o discursa da "nova política", apesar de ambos terem feito parte da base aliada do governo de Lula, ela como ministra do Meio Ambiente. O PSB também participou da gestão Dilma Rousseff, mas entregou os cargos que ocupava entre setembro e outubro de 2013.
http://www.capitalteresina.com.br/noticias/politica/biografia-de-eduardo-campos-20451.html

Comentários