segunda-feira, 28 de julho de 2014

Um mimo em poesia... deixe que minha saudade visite seu sono

Deixei partir



Logo quando o sol vai declinando,
eis que ela chega,
chuva de verão, agitada, assanhada,
à tardinha,  faz subir o cheiro
da terra quente, borrifada, escaldada,
sedenta...

Chuvas no fim do dia
vem só para provocar, aumentar a sede,
deixar desejos
irremediáveis, saudade, melancolia.

Ligeiras elas vem e vão, sem
se "despedir",
partem, nem olham atrás,
vão em busca de outra região.


As roseiras lamentam,
rosas suspiram
 rouxinol entristecido, perdeu a voz,
esqueceu a melodia,
beija flores se desentendem,
antes do pôr do sol, recolhem-se no jardim,
 a tarde perde o bailado;
a palmeira entra em greve,
enroscando suas folhas,
enfim...

Assim é a saudade que, com lágrimas nos
olhos deixei partir...
Mesmo com o coração partido, porque
durante muito tempo esteve
aprisionada a mim.
*********

http://www.recantodasletras.com.br/poesias/4786230

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays