domingo, 25 de maio de 2014

SOL DA JUSTIÇA


 
Vislumbrei o amor primário... Entendi a manifestação da desarmonia existente na vida dos humanos pela falta de obediência a uma palavra Superior.
Olhei novamente esta entrega e os frutos deste amor gerado, os sorrisos e a continuidade das gerações, verifiquei que a felicidade encontra-se em nosso mundo e que as realizações pessoais a embalam nos braços feito mãe dos humanos.
Pude perceber o caos da desobediência perdurar séculos e séculos até os dias de hoje, nela se encontram a desarmonia e os desajustes, as tristezas e mágoas o tempo da vida e morte. 
Olhei para a alma horrorizada de um terminal que ansiava descanso e liberdade, mas a incerteza da justiça em sua vida o fazia com seu corpo esquelético agarrá-la numa tentativa única de abreviar sua intranquila viagem.
Seus sentidos falavam a consequência de seus erros e o tempo e a morte reinvindicava-lhe a posse.
Entendi que tanto: a harmonia como a loucura interior refletem sobre o corpo exterior e espelha-se na alma.
E que a paz nestas horas se faz o passaporte único e necessário.

Então olhei para as lágrimas salgadas de sua mãe, qual a fonte de lágrimas?... Brotam d'alma pelo amor, o que seria o amor?... É o sentimento maior... O amor é uma luz onipresente de fluídos benéficos independente das várias formas de se amar... O que seria uma luz?... A luz origina-se de uma ordem Superior... O que seria uma ordem?... Ordem é a exatidão de como funciona todas as coisas... O que existe acima da ordem e amor?... A imperativa justiça.
Sem a justiça o amor não se cumpre, então percebemos que os herdeiros do amor e da vida para sempre serão os justos, quem serão os justos?... Justos são aqueles que reconhecem o resgate oferecido pelo Amor Supremo à perfeição pela imperfeição.
Justos são os que se "esforçam" em corrigir-se diariamente em seu "tempo", dentro de sua limitação humana, pois existe "tempo" para tudo, mas não sabemos até quando existirá tempo, pois estamos fadados a um abrir e fechar d'olhos desde os primórdios da existência.
Mas um "esforço" empurra uma manivela espiritual ao nosso favor que é aceita de bom grado, pois se apresenta não inerte e irreverente a obediência.
O sol da justiça brilha sobre todas as consciências, alguns se agradam de receber este calor e afago, outros não o suportam deste modo a justiça se processa sem maior dolo ou saber.
****************************************
Maurício de Oliveira (poeta/escritor no Reacnto das Letras)
http://www.verbalizar.prosaeverso.net/publicacoes
Obrigada por compartilhar em meu Blog a beleza de sua inspiração, Maurício!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays