segunda-feira, 3 de março de 2014

Como esperado, Oscar coroa '12 Anos de Escravidão'

Primeiro Filme de um diretor negro a ganhar o Prêmio.

O diretor Steve McQueen ao lado de Brad Pitt que produziu '12 Anos de Escravidão' - EFE

 O diretor Steve McQueen ao lado de Brad Pitt 
 que produziu '12 Anos de Escravidão'


E, afinal, ficou tudo dentro do script no Oscar 2014. Alfonso Cuarón e Steve McQueen dividiram os prêmios de direção, por Gravidade, e filme, por 12 Anos de Escravidão. Cate Blanchett foi melhor atriz, por Blue Jasmine; Matthew McConaughey, melhor ator, por Clube de Compras Dallas.
Foi um ano em que adivinhar quais seriam os vencedores não era exatamente um desafio, bastava seguir os indicadores. E embora essa divisão filme/diretor não seja nunca ideal, o prêmio de direção consagra o que Gravidade tem de melhor. Da mesma forma, seria insultoso se um filme como 12 Anos não ganhasse. Nunca houve um filme sobre escravidão como este. Baseado na historia real, e documentada, de Salomon Northup, Steve McQueen avança em relação a outros filmes que, nos últimos anos, têm feito a revisão de um dos períodos mais obscuros e conturbados da história dos EUA.

O longa-metragem também deixa sua marca por ser o primeiro filme de um diretor negro a ganhar o prêmio máximo da indústria cinematográfica.

McQueen, no seu agradecimento, disse que a escravidão não é só uma chaga histórica. Em 2014, milhões de pessoas seguem em regime de servidão em todo o mundo. Alguns críticos já caíram matando em 12 Anos porque seria 'acadêmico'. Pictoricamente, McQueen, um artista visual, e seu fotógrafo inspiraram-se nos claros e escuros de Rembrandt. Um academicismo assim cai muito bem.
O Estadão/SP 



Lupita Nyong´o (Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante pelo filme "12 Anos de Escravidão") nasceu na cidade do México em 1983. Seus pais são oriundos do Quênia (África).
Sob forte emoção no momento da premiação, 
ela disse: "Não importa de onde você veio"... 
(entre outras palavras).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays