Transposição de Rio...



O que é que há no fim do rio ?
o fim da jornada,
a missão cumprida,
água que se perde...
Para onde vai a água do rio ?
Para o fundo mar,
para adoçar a salinidade
só...
Será destino imutável,
dogma, vontade de Deus?
que o rio seja submisso
a ser simples desaguador,
provedor inócuo dos mares?
Isso é desnecessário, é
improdutivo e sem maior
propósito....
se então não existe razão,
lei divina impeditiva,
se a natureza não rejeita
e se o mar aceita de
bom grado e se não e
não se importa, o que
impede o homem desviar
pois, uns fios de água para
o renascimento do semi-árido ?
 
Deus mandou dar de beber
a quem tem sede....!
Porque o homem ao invés
de querer morrer, querer
imolar-se por algo que ele
não compreende, não faz
de vez essa obra maravilhosa...?
Essa transposição de água
no final do rio...
 
Ao homem é permitido
arar a terra,
adubar a terra,
semear...aguar....
para depois sobrevivendo
da terra, dar graças
pela vida que recebe dela,
louvar o senhor pela
benção recebida...

ALKAS BRANCO
03/02/14
Obrigada, poeta, por compartilhar!

Comentários

Postar um comentário