segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Jesus


 Nas pegadas do Mestre Jesus de Nazaré
Veio da colina de Nazaré o Homem feito no seio da terra
Nas veredas da Galileia saboreou o pão e o vinho
Depois sinais do mistério denso que chamou memória.
Foi ao encontro de rudes pescadores para Apóstolos
Mestres que cheiram a peixe e a mar
Mas foram o tal futuro feito missão da pesca nova do amor.
No altar da montanha elege os simples e os pequenos
O povo do Reino da luz intensa da abundância da vida.
Quando o desprezo dita regras abraça o doente
E estende a mão à prostituta contra o veneno hipócrita
Dos que se diziam donos da cidade.
Sem medo anunciou a paz
Sem medo denunciou os gestos que matam
Sem medo declarou que não devem «casar» os poderes
Sem medo defendeu os simples que carregam fardos de nada
Sem medo despachou como «hipócritas» e «túmulos caiados» todos os senhores do tempo e do templo
Sem medo vislumbra o seu fim e o fim de todos
Mas, também para todos dita a esperança da glória
Que no hoje de cada dia e de cada hora todos tomam e bebem
No pão e no vinho da vida tomada das sementeiras do tempo.

José Luís Rodrigues (sacerdote)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays