sábado, 11 de janeiro de 2014

Sete Cantigas Para Voar - Vital Farias


Cantiga de campo 
de concentração 
a gente bem sente 
com precisão 
mas recordo a tua imagem 
naquela viagem 
que eu fiz pro sertão 
eu que nasci na floresta 
canto e faço festa 
no seu coração 
Voa, voa, azulão. 
Voa, voa, azulão.

Cantiga de roça 
de um cego apaixonado 
cantiga de moça 
lá do cercado 
que canta a fauna e a flora 
e ninguém ignora 
se ela quer brotar 
bota uma flor no cabelo 
com alegria e zelo 
para não secar 
Voa, voa no ar 
Voa, voa no ar 
Cantiga de ninar 
a criança na rede 
mentira de água 
é matar a sêde: 
diz pra mãe que eu fui pro açude 
fui pescar um peixe 
isso eu num fui não 
tava era com um namorado 
pra alegria e festa 
do meu coração 
Voa, voa azulão 
Voa, voa azulão

Cantiga de índio 
que perdeu sua taba 
no peito esse incêndio 
céu não se apaga 
deixe o índio no seu canto 
que eu canto um acalanto 
faço outra canção 
deixe o peixe, deixe o rio 
que o rio é um fio de inspiração 
Voa, voa azulão (3x)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays