quinta-feira, 18 de agosto de 2016

No interior do AC, PMs homenageiam colega morto em serviço na capital


Manifestação aconteceu em frente à Catedral de Nossa senhora da Glória.
Policial Militar foi morto durante abordagem a jovens na segunda-feira (15).


  •  
Policiais de Cruzeiro do Sul prestaram homenagem a colega morto (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)Policiais de Cruzeiro do Sul prestaram homenagem a colega morto (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)
Um grupo de 20 policiais militares de Cruzeiro do Sul, interior do Acre, fiz uma paralisação de um minuto, nesta quarta-feira (17), em frente à Catedral de Nossa Senhora da Glória, no Centro da cidade, em homenagem ao policial Alexandro Aparecido dos Santos, de 36 anos. Santos morreu após ser baleado no pescoço durante uma abordagem policial na última segunda-feira (15), em Rio Branco.

Os militares pararam as viaturas com as luzes ligadas, em continência ao companheiro de farda. O tenente Silva Lima, diz que a homenagem aconteceu em todas as cidades do estado.

"A gente sabe que o que aconteceu com nosso companheiro foi uma fatalidade. O Comando da Polícia Militar decidiu fazer essa homenagem e aqui estamos nós para chamar a atenção da sociedade e mostrar que a polícia é parceira da sociedade. Somos nós que defendemos e lutamos pelo bem estar da sociedade no dia a dia", afirma.
 
Morador de Cruzeiro do Sul, Pedro Correia Cabral, de 46 anos, diz ter ficado surpreso ao passar pelo local e ver a movimentação. "Quando vi esses carros parando e os policiais ficando perfilados, imaginei que fosse alguma operação que fossem fazer. É justo que eles façam isso, pois o colega deles morreu no trabalho, em defesa das pessoas", defende.
 
Durante todo o dia, na sede do 6º Batalhão da Polícia Militar, a bandeira nacional permaneceu a meio mastro em continência ao militar. Após a manifestação os militares retornaram a sua rotina normal de serviço.

Entenda o caso
O cabo Alexandro Aparecido dos Santos, de 36 anos, da Polícia Militar (PM) foi morto com um tiro no pescoço durante uma abordagem a três pessoas no bairro Novo Horizonte, em Rio Branco.

Um dos homens que foi abordado reagiu à ação, iniciou uma luta com policiais, conseguiu pegar uma das armas a acabou dando um tiro que vitimou o PM.
A polícia informou que dois dos envolvidos foram presos no momento da ocorrência, incluindo o que efetuou o disparo. O terceiro homem conseguiu fugir do local. Ao reconhecer o corpo do marido no Instituto Médico Legal (IML) a mulher do cabo, Nara Aline Santos, de 25 anos, passou mal.
A Polícia Militar divulgou uma nota lamentando o ocorrido. "O governo ressalta que o policial foi morto durante o exercício da profissão e combatendo a criminalidade", disse.
O documento diz ainda que o PM possuía conduta "ilibada" e nunca houve processo contra ele na corregedoria da instituição. "A sociedade acreana perde um defensor da ordem pública que, na condição de policial militar, lutou até o fim contra a criminalidade", finaliza a nota.
O corpo de Santos foi conduzido em um cortejo até o Aeroporto Plácido de Castro, na manhã de terça-feira (16). Mesmo abalados, mais de 200 policiais militares acompanharam o cortejo do colega. O cabo foi levado para a cidade de Vilhena (RO), onde deve ser enterrado.
tópicos:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays