sábado, 15 de novembro de 2014

Depoimento "Flor do Recanto"

YutakaKitamura07


Depoimento "Flor do Recanto" 

Graças a Você!
           Querido amigo poeta/escritor
                    Miguel Carqueija!


Antes de me conhecer como pessoa sensível e apaixonada pela vida, fui (e sou) profunda admiradora da natureza e seus encantos presentes em seus perfumes, cores e formas.
Nasci e vivi até completar meus 11 anos, no sítio de meu avô materno, em uma casa “ornamentada” por materiais impressos (folhetos, panfletos, canções, poemas e muitos livros) pertencentes ao meu pai, poeta Fernando da Silva Ramos (In memorian). Naquela época, sem TV, aparelho de som, sequer um rádio (até meus sete anos) havia em casa. Além de brincar e viver aquela fase maravilhosa e inesquecível, junto com vizinhos, primos e demais familiares, eu ocupava grande parte de meu tempo para leituras e cantos. Aprendi a cantar todas as canções que meu pai cantava, e exercitava cada vez mais a leitura dos cordéis, cada história melhor que a outra.

Foi assim que logo cedo aprendi a ler, ainda nem tinha 8 anos completos. Naquela época atrasada, isso significava um avanço e tanto. No meio de muitos adultos (a maioria analfabeto), eu, uma criança que já lia (em público) nos eventos religiosos da comunidade católica  e nas comemorações na escola.

A partir daí não foi difícil me apaixonar pelas palavras. Comecei a escrever no inicio de minha adolescência. Inicialmente eram frases, quadras, jograis, e com o passar do tempo minha escrita (singela) foi evoluindo, ainda que eu nem soubesse como poderia classificá-la.

Costumava guardar quase tudo. Eram vários os cadernos, diários, folhas avulsas. Sei que alguns dos meus rabiscos se perderam, mas, felizmente tenho a maior parte.

Em maio de 2010, busquei na internet algum site onde pudesse publicar minhas palavras. Sabia que ainda precisava melhorar, aperfeiçoar meu trabalho, mas desejava mostrar ao mundo aquilo que até então somente eu conhecia. Almejava ver a opinião das pessoas sobre minha singela "produção" de aprendiz. Quando descobri o Recanto das Letras, um tanto "desconfiada', mesmo assim fiz o cadastro, mas nada publiquei até o dia 24 de setembro de 2011.

Costumo falar que o Recanto é um dos lugares onde me sinto melhor! Se antes era meu trabalho (na Escola) a extensão do meu lar, hoje (sem trabalhar fora) cuido de minha página com desvelo e carinho semelhantes à maneira como faço na organização da minha casa.
Minha escrita flui de minha sensibilidade, mesclada por sentimentos e emoções diversas.  Despejo na telinha praticamente tudo que sinto, vivo ou vivi, além de muitas situações que observo no cotidiano ou fantasio simplesmente.

Sou movida por amor e trabalho. Há também (em mim) forte presença de sentimentos que ao longo de minha maturidade foram moldando minha personalidade, lapidando minha alma e me ajudando a reescrever a cada dia, com mais sabedoria, as páginas de minha história de vida. Consciente sou de minhas fragilidades humanas, mas, mantenho o esforço (diário) de ser artífice na reconstrução de meu proprio eu.

Sou uma pessoa feliz e realizada. Aprendi a ser resiliente. A escrita contribuiu muito nesse processo de crescimento interior.
Em minha Escrivaninha sou livre feito um pássaro. Procuro sempre deixar algo de bom ou seja o melhor de mim para meus semelhantes ou para aqueles que me leem com tanto carinho e apreço, a maioria, imagino.

Aqui conheci muitos amigos poetas/escritores e amigas poetisas/escritoras, pessoas do melhor quilate, que aprendi a admirar, respeitar e amar com toda honestidade possível. Não preciso nem precisarei jamais usar qualquer artifício para ocultar ou disfarçar sentimentos que nutro por meus amigos e amigas. Sou totalmente "despudorada" quando se trata de falar: "Eu te amo!" Te adoro! Você é lindo/a!  Sou tua fã número 01! Quem me conhece sabe que não possuo nenhuma dificuldade para falar de amor e principalmente do meu amor!
Não tenho nenhum problema em deixar transparecer minha nudez de alma.

O convite para participar da Antologia "Flores do Recanto" que a princípio nem tinha ainda o título (penso), veio do querido amigo poeta/escritor Miguel Carqueija.  E aqui, tomo a liberdade de reproduzir suas palavras a mim endereçadas no dia 04 de fevereiro de 2014:
 

Mensagem:
Minha querida amiga,você gostaria de fazer parte de uma antologia poética somente para poetisas do Recanto? Já vi que você tem talento e sensibilidade e pretendo reunir 25 nomes, se desejar participar eu passo as dicas.
Adianto que não há ônus, será um livro amador na minha escrivaninha, mas quero fazer uma coisa muito bonita e divulgar bastante.

beijos e Deus a abençoe
Miguel


Caríssimos, confesso que fiquei radiante e respondi quase de imediato, agradecendo a gentileza e consideração do poeta. Para mim foi uma grande e linda surpresa.
Atualmente tenho o Miguel Carqueija como exemplo não somente de mestre, guru/mago das letras, mas também de homem digno, leal, atencioso, solidário e profundamente respeitoso. Seu talento poético/literário é extraordinário, inquestionável, merecedor de aplausos, admiração e de prêmios maiores.
Sua escrita versátil é norteada pela difusão do amor ao próximo, a valorização do "ser"  e pelos bons princípios, além de ser amplamente informativa.
A você Miguel, sou eternamente grata pelo convite que muito me honra e envaidece e pelo empenho, esforço, carinho e dedicação que, como um exímio jardineiro, fez de todas nós
- "Flores" do Recanto. Cultivo a amizade que nos aproxima e nos mantém unidos às demais participantes, principalmente àquelas com as quais interajo, algumas no FACE. Agradeço também à todas às "Flores" pela parceria nesse trabalho interativo que muito nos acrescenta e, onde (no momento) pudemos oferecer o melhor de nós. Que possamos continuar por muito tempo semeando palavras e sentimentos, contribuindo para tornar este jardim cada vez mais florido e colorido.
*************************************************

Simples e carinhosamente:
Aparecida Ramos

flor141.gif
isisdumonprosaeverso.net
O presente texto encontra-se junto aos das demais participantes da Antologia 
"Flores do Recanto", no link abaixo, página do poeta Miguel Carqueija:

http://www.recantodasletras.com.br/e-livros/4934058
Gratuito para baixar.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays