segunda-feira, 9 de junho de 2014

Fotógrafo Luiz Cláudio infartou a 100 metros do Hospital...



Imagens mostram mulher pedindo ajuda para salvar fotógrafo em hospital

Luiz Cláudio infartou há cerca de 100 metros do Instituto Nacional de Cardiologia, um hospital referência em cirurgias cardíacas e transplantes.



Um homem passa mal dentro de um ônibus, no Rio, e morre na porta de um hospital, sem atendimento. O Fantástico reconstitui os últimos momentos do fotógrafo Luiz Cláudio Marigo e investiga a omissão inacreditável da qual ele foi vítima.
“É isso, é paciência, é dedicar tempo, procurar o bicho”, disse o fotografo Luiz Cláudio em uma gravação de 2011.
“Sentimento de vazio, de perda, de coisa irreparável, de tristeza”, desabafa Cecília Marigo, viúva de Luiz Cláudio.
“Essas câmeras não são nada se não fossem com ele segurando. O importante não é o equipamento, o importante é o fotógrafo que está olhando através das lentes”, afirma Vítor Marigo, filho de Luiz Cláudio.
As declarações revelam a dor de uma família que perdeu a referência.
“E era uma paixão, a gente completamente conectado com essas expedições dele”, conta Gustavo Marigo, filho de Luiz Cláudio.
Em mais de 40 anos de profissão, o fotógrafo Luiz Cláudio Marigo desvendou a natureza brasileira. São dezenas de livros publicados.
Com um olhar privilegiado fez registros premiados no mundo. Entre as fotos raras, a ararinha azul. O ofício do profissional sensível, obstinado, está nos versos de Carlos Drummond de Andrade, num poema escrito especialmente para ele.
O coração do fotógrafo, de 63 anos, parou de bater na última segunda-feira dentro do ônibus em que voltava para casa, depois de fazer uma caminhada no Aterro do Flamengo, no Rio.
Luiz Cláudio enfartou há cerca de 100 metros do Instituto Nacional de Cardiologia, um hospital público, referência em cirurgias cardíacas e transplantes. Diante da situação, isso parecia ser um ponto a favor.  O motorista estacionou o ônibus em frente ao instituto, e saiu em busca de socorro. Mas não conseguiu. Uma investigação da polícia mostrou que enquanto pessoas tentavam ressuscitar o fotógrafo do lado de fora, 13 médicos estavam na escala de trabalho do hospital naquela segunda-feira.
Leia mais:
http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/06/imagens-mostram-mulher-pedindo-ajuda-em-hospital-para-fotografo.htm


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eles estão caçando gays